Translate

sábado, 25 de agosto de 2012

FAÇA COMO STEVE JOBS



Já tem algum tempo que não publico nada em meu blog e não é por falta de ter o que escrever e sim pelas atribuições que assumimos e tomam todo nosso tempo.  Conversando com meu avô esta semana, ele comentou que havia assistido ao filme “Piratas do Vale do Silício”, que conta parte da vida de dois homens que participaram ativamente das mudanças que o mundo esta vivendo que é a era da comunicação. Refiro a Bill Gates e Steve Jobs.
Já li livros a respeito de ambos e realmente são pessoas fantásticas, mas nesta postagem vou recomendar a leitura de um livro escrito por Carmine Gallo, que é um tratado sobre a arte de comunicar, chamado  “Faça como Steve Jobs e realize apresentações incríveis a todo momento”.  Este livro, inclusive esta disponível na internet para download gratuito. É só acessar um site de busca, colocar o nome do livro e aprender com o grande mestre, que infelizmente já partiu, mas deixou uma historia para ser lida aprendida e contada.
Já tem muitas publicações sobre este gênio da comunicação e seria até leviano de minha parte querer criar algum fato novo.  Varias publicações sobre ele foram feitas em todos os meios de comunicação, como a de Walter Isaacson, seu amigo, que publicou sua biografia autorizada cita “A saga de Steve Jobs é o mito de criação da revolução digital em grande escala: o início de um negócio na garagem de seus pais e sua transformação na empresa mais valiosa do mundo. Embora não tenha inventado muitas coisas de cabo a rabo, Jobs era um mestre em combinar ideias, arte e tecnologia de uma maneira que por várias vezes inventou o futuro”.
Ele era espetacular se comunicando, como o livro mostra e ao longo de sua vida ele aprendeu a olhar fixo para as pessoas e ficar longo tempo em silêncio intercalado por frases de fala rápida. Jobs era considerado pelos colegas como um herói e ao mesmo tempo um cabeça de bagre. Ou era um ou era o outro. As coisas para ele eram a “melhor do mundo” ou uma droga.
Uma frase atribuída a ele que reflete sua personalidade é  "Não fazemos essas coisas porque somos malucos por controle", explicou. "Nós as fazemos porque queremos fazer grandes produtos, porque nos preocupamos com o usuário e porque gostamos de assumir a responsabilidade por toda a experiência, ao invés fabricar a porcaria que outros fazem." Ele também acreditava que estava prestando um serviço às pessoas. “Elas estão ocupadas fazendo o que sabem fazer melhor e querem que façamos o que fazemos melhor”
Esta publicação é um tributo a Steve Jobs. Leiam o livro que estou recomendando e tenho certeza que irão gostar imensamente.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

NAPOLEÃO



Difícil encontrar alguém que nunca tenha ouvido falar alguma coisa sobre Napoleão Bonaparte. Mas quem foi realmente Napoleão Bonaparte? Um louco? Um visionário? Depende de quem conta a historia, mas podemos conhecê-lo por inteiro lendo o livro “Napoleão” de Emil Ludwig. Este autor se especializou em biografias de grandes personagens e publicou livros sobre Goethe em 1920; Bismack em 1922, Napoleão em 1925; Michelangelo em 1930, Cleópatra em 1937 e finalmente Stalin em 1942.

Napoleão Bonaparte nasceu na Córcega, em sua junventude seu pai o mandou para estudar em um colégio na França a genialidade estava no sangue nobre dele, tanto que com 19 anos de idade tornou-se tenente do exército francês. Ele teve um desenvolvimento na área militar extraodinário, tanto que com a idade de 27 anos já era vitorioso em várias guerras eja fora promovido ao cargo de  general de brigada em 1793.

Na epoca, a França era governada pelo Ministro Robespierre e havia o partido politico denominado Jacobino, que eram contrários ao governo. Com a queda de Robespierre, Napoleão foi preso sob a acusação de ser jacobino, mas conseguiu se safar e foi encarregado em 1795 de dirigir o levante monarquista em Paris.

Napoleão casou com Josefina, que era viuva de Beauharnais, um general francês que foi morto na guilhotina. Sendo um grande estrategista e um grande incentivador dos seus soldados antes de cada batalha, acabou se tornando o Comandante-em-chefe do Exercito da França, nas campanhas contra a Italia, Austria, Egito e Inglaterra.


Quando da ocupação do Egito, 1798 a expedição científica que o acompanhou, durante pesquisas arqueológicas realizadas naquele pais,  foi descoberta a Pedra de Rosetta,  uma espécie de monólito de basalto negro, que apresenta um decreto de Ptolomeu V, em caracteres hieroglíficos, demóticos e gregos,196 A.C., que os pesquisadores utilizaram para decifrar os hieróglifos egípcios..   Este achado esta exposto no British Museum, em Londres.

Já muito popular na França, Napoleão em 1799 deu um golpe de Estado e assumiu o poder, sendo eleito Cônsul Geral através de um plebiscito popular. Já no poder,  organizou o governo, a administração, a polícia, a magistratura e as finanças. Tomou medidas despóticas e antiliberais, como o restabelecimento da escravidão nas colônias, e outras de grande importância econômica, como a criação do Banco de França, 1800, além de criar uma nova Constituição para a França.

Um dos grandes feitos de Napoleão foi a criação de um novo código civil, que ficou conhecido Code Napoléon, elaborado por uma comissão de juristas com sua participação ativa.  Este documento tornou-se o maior feito jurídico dos tempos modernos, consubstanciou os princípios defendidos pela revolução francesa e influenciou profundamente a legislação de todos os países no século XIX.

O restabelecimento da ordem e da paz  fizeram crescer a sua popularidade, e ele foi proclamado cônsul vitalício por plebiscito. Posteriormente corou-se Rei da Itália. Sua vida amorosa teve prosseguimento com seu divorcio da Imperatriz Josefina e  seu novo casamento com Maria Luísa, filha do Imperador da Áustria.
Sua vida política e militar foi marcada por guerras permanentes contra os países vizinhos e quando eles se uniram para enfrentar as forças francesas, Napoleão foi derrotado pela primeira vez em Leipzig. Um dos maiores erros estratégicos de Napoleão foi a invasão da Rússia, Dada as dimensões territoriais da Russia e a baixa temperatura do inverno russo, os soldados franceses sofreram um derrota catastrófica, o que forçou Napoleão abdicar do cargo e ficar exilado na Ilha de Elba, na costa Oeste da Itália

Tentou voltar ao poder novamente e organizou um exercito, mas foi derrotado novamente na celebre Batalha de Waterloo, na Bélgica. Napoleão foi preso pelos  ingleses e deportado para a Ilha de Santa  Helena, onde permaneceu até sua morte.
Um livro de biografia tem uma redação diferente dos romances modernos, mas o aprendizado que se adquire é maravilhoso. Recomendo a leitura deste livro a todos que apreciam este tipo de literatura.