OS TRÊS GRANDES - CHURCHILL, ROOSEVELT E STALIN


“Os Três Grandes” obra de Jonathan Fenby, descreve de Churchill, Roosevelt e Stalin, conhecidos como os três grandes,  em uma fantástica união acabaram com a Segunda Guerra Mundial. Esses lideres que representavam a Grã-Bretanha, Estados Unidos e União Soviética tiveram nas mãos o destino de milhões de pessoas.
Aliados contra a Alemanha Nazista, esses homens de origens tão distintas se encontraram em Teerã em 1943,  em Ialta e Potsdam em 1945, para redesenhar as fronteiras de uma nova Europa. O mundo nunca mais seria o mesmo.
Somente uma guerra sem precedentes poderia unir aqueles três homens, que representavam pensamentos totalmente diferentes, ao redor de uma mesma mesa de negociações.
Pelos Estados Unidos,  Franklin Roosevelt,  61 anos, filho predileto de um clã político poderoso que a mais de meio século mantinha estreitos vínculos com o poder. Seu tio, Theodore Roosevelt também fora Presidente dos Estados Unidos. Representando o Império Britânico, o primeiro-ministro Winston Churchill, 69 anos, orgulhoso de seus antepassados aristocráticos, entre eles Lord Malborough, memorável capitão-de-armas do século 18.
Na outra ponta, o general Joseph Stálin, líder soviético, 64 anos,filho de um sapateiro da Geórgia.
Roosevelt era um entusiasta da Democracia e do Capitalismo. Churchill defendia os interesses universais do Império Britânico, enquanto o todo-poderoso Stálin era o mensageiro da revolução proletária e da luta anticolonialista, subversões que vinham abalando o mundo desde 1917.
Simplificando, o inglês, lutava para manter um império, enquanto os outros dois lançavam-se para ampliar seus próprios domínios.

Na Conferência de Teerã, realizada entre 28 de Novembro e 1 de Dezembro de 1943, foi firmado o primeiro dos acordos  entre as superpotências durante a Segunda Guerra Mundial   Neste encontro, além de lançarem bases de definições de partilhas, decidiu-se que as forças anglo-americanas entrariam na França, completando o cerco de pressão à Alemanha, juntamente com as forças orientais soviéticas.
Esta operação militar, que ficou conhecida como "Dia D", se  concretizou no desembarque dos Aliados na Normandia, que acabaram vencendo a guerra contra a Alemanha de Hitler. 
Com o termino da Segunda Guerra, a Alemanha foi dividida em dois tipos de governo: Capitalismo, tendo a frente Estados Unidos e Grã-Bretanha e Socialismo, sob o comando da União Sovietica.
Este acordo foi decidido  no  encontro destes tres grandes lideres mundiais na  Conferência de Ialta, também chamada de Conferência da Crimeia,  ocorrido no período de 4 á 11 de fevereiro de 1945 no Palácio Livadia, na estação balneária de Ialta, nas margens do Mar Negro, na Crimeia. Este encontro, feito sob segredo, foi para decidir com o fim da Segunda Guerra Mundial  a repartição das zonas de influência entre o Oeste e o Leste.Ao  formularem propostas de paz com a colaboração de todas as nações do envolvidas no conflito. Estados Unidos e Inglaterra reconhecem  a fronteira soviética no Ocidente, com a junção da Estônia, da Letônia, da Lituânia e do Leste da Polônia.
Em 11 de fevereiro de 1945, eles assinam os acordos cujos objetivos são de assegurar um fim rápido à guerra e a estabilidade do mundo após a vitória final.
Em 17 de julho de 1945, os chefes de governo dos Estados Unidos, Reino Unido e União Soviética, vencedores da Segunda Guerra Mundial, reuniram-se pela terceira vez.
 em Potsdam.  A aliança estabelecida em junho de 1941, começava a se desgastar.

A Conferência de Potsdam significou uma grande mudança nas relações Leste-Oeste. Seus principais protagonistas foram o novo presidente norte-americano, Harry S. Truman, que em abril de 1945 havia substituído Franklin D. Roosevelt, o ditador soviético Josef Stalin, e o primeiro-ministro britânico Winston Churchill, destituído durante a conferência e substituído por Clement Attlee.
Com a invasão de suas Forças Armadas no Leste Europeu, a URSS criou uma hegemonia que tão cedo não seria igualada. Já a Inglaterra consolidou sua posição como parceira dos Estados Unidos. Enquanto isso, o governo Truman tentava reverter a política pró-russa de seu antecessor, Roosevelt.
Em Potsdam, o choque de interesses entre Moscou e seus aliados ocidentais ficou  mais evidenciado que nas duas conferências anteriores. Depois dos testes bem-sucedidos com a bomba atômica naquele julho de 1945, Truman pretendia o apoio da URSS na guerra contra o Japão, mas ao mesmo tempo queria evitar uma ocupação soviética naquela região asiática.  Stalin, vendo que seria mais vantajoso para a União Soviética distanciou-se definitivamente das nações ocidentais, marcando o início da  Guerra Fria.
A conferência estabeleceu os aspectos básicos para a administração da Alemanha logo depois do fim do conflito. Além da histórica decisão de dividir a Alemanha em quatro zonas de ocupação, foi criado um conselho de ministros das Relações Exteriores, com sede em Londres e a participação de representantes do Reino Unido, União Soviética, China, França e Estados Unidos.
Entre os principais objetivos da Conferência de Potsdam  estava a criação de aspectos para o tratamento da Alemanha derrotada; questões de reparação de guerra, além da nova fronteira para a Polônia, ao longo dos rios Oder e Neisse, assim como os acordos de paz com a Itália, Bulgária, Finlândia, Hungria e Romênia.
Um livro extraordinário, que relata com muita riqueza de detalhes e informações todo o desfecho da Segunda Guerra Mundial e o inicio a guerra ideológica  a Guerra Fria.
Recomendo a todos.

Comentários

Postagens mais visitadas