Translate

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Ponte para Terabítia



Uma amiga  de escola comentou comigo sobre o livro “Ponte para Terabítia”. Ela tinha que fazer um trabalho escolar a respeito e sugeriu que eu lesse o livro e se gostasse, publicasse uma resenha no blog. Eu já tinha lido este livro à alguns anos e resolvi rele-lo e confesso que gostei muito. Ponte para Terabítia é um livro classificado como literatura infantil e foi escrito por Katherine Paterson e teve sua primeira edição publicada em 1977.
Como a maioria dos livros voltados para o publico infantil, a leitura deste livro é muito gostosa, leve, de fácil entendimento, que conta a historia da amizade entre os personagens principais da obra Jess Aaron s e Leslie Burke. Jess Aarons era um garoto tímido e sentia-se importante quando estava correndo. Sempre ganhava as corridas que disputava com os colegas de escola, mas uma vez ele perdeu. E perdeu exatamente para Leslie Burke, uma garota, filha única de escritores, que havia se mudado para uma casa ao lado da sua. Ficaram amigos por causa do fato de viverem bem próximos, e também o fato de eles serem perseguidos pelos valentões da escola.

Não é utilizado no livro a expressão “bullying”, mas era o que acontecia com os dois.
Eles adoravam a companhia um do outro e num desses encontros, Leslie tinha uma imaginação muito fértil, e Jess, uma grande paixão secreta por desenho, resolvem num bosque próximo da casa deles criar um reino somente deles e dão nome a este lugar de Terabítia, e se nomeam rei e rainha.

Para chegar lá, eles atravessam um pequeno riacho numa corda bem grossa, pendurada numa árvore às margens do riacho. O cãozinho que Leslie ganha de Jess no Natal, recebe o nome de Príncipe Terrian (ou P.T.), para ajudá-los a lutar contra os "monstros", que querem roubar Terabítia deles.
A professora de musica de Jess era a senhorita Miss Edmunds, que adorava os desenhos que o garoto fazia e ele sentia um amor platônico por ela e em certa ocasião ela o convida para visitar um museu. Jess fica tão empolgado com o convite e com a possibilidade de estar sozinho com sua amada professora que não convida sua amiga Leslie para acompanhá-lo.
Leslie, que não tinha o que fazer no dia que Jess foi ao museu, resolve ir a Terabítia sozinha e quando estava atravessando o riacho, a corda que era utilizada como ponte arrebentou e ela caiu e desmaiou ao bater a cabeça numa pedra, e como naquela época do ano o riacho estava com as águas muito altas, ela morreu afogada.

Após a morte de Leslie, Jess vai a Terabítia junto com O Príncipe Terrian fazer uma cerimônia em memória da garota. Mas é seguido por sua irmã May Belle. Ela queria apenas ajudar Jess na homenagem que ele iria prestar a sua amiga, mas ele, ainda muito abalado, fica irritado e grita muito grosseiramente com ela, deixando-a muito triste.
Depois da morte da filha, os pais de Leslie resolvem se mudar e levam junto o cãozinho Príncipe Terrian, mas deixam para Jess os livros de Leslie e um pouco de madeira, que ele constrói uma ponte sobre o riacho, para que ninguém mais se acidente, e se reconcilia a amizade com sua irmã May Belle, coroando-a princesa de Terabítia.

Esta historia é tão bonita e comovente que foi transformada em filme por duas ocasiões. Em 1985 foi realizado um filme para a televisão e uma nova versão, agora para o cinema, foi editada em 2007. Certamente, você, meu amigo, caso não tenha oportunidade de ler este livro e tiver oportunidade de ver o filme, não perca a chance de fazê-lo. Com certeza, vai adorar!

Recomendo.

Fotos obtidas pela Internet

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

O Diário de Anne Frank


Espero poder confiar inteiramente em você, como jamais confiei em alguém até hoje,
e espero que você venha a ser um grande apoio e um grande conforto para mim.
(Anne Frank, 12 de junho de 1942.)

Esta semana foi dada uma prova sobre um livro que eu já havia lido duas vezes e gostado muito, que é o Diário de Anne Frank. Preparando-me para a prova, reli-o novamente e resolvi publicar um rápido resumo sobre ele e convidar você, caro amigo que sempre me acompanha nas minhas publicações, caso ainda não conheça esta obra, faça um esforço e o leia. Certamente você vai gostar muito, assim como milhões de leitores em todo mundo se apaixonaram por esta linda garota judia, que foi uma das milhares de vitimas, que pagou com a vida, as loucuras da Segunda Guerra Mundial.
Anne Frank
O livro conta que Anne Frank, cujo nome completo era Anne Marie Frank, nasceu em 12 de junho de 1929 em Frankfurt, Alemanha, filha de Otto e Edith Frank. Morou nesta cidade até 1933, em companhia dos pais e de sua irmã mais velha Margot, quando se mudaram para a Holanda. Anne ainda ficou na Alemanha morando com seus avôs por mais 01 ano
 Em 1940, já durante o desenrolar da Segunda Guerra Mundial, os alemães ocuparam Amsterdã, onde Anne morava com os pais. Neste período já tinha sido estabelecido o ideal de Hitler de acabarem com os judeus e em 1942 os alemães, com a colaboração dos holandeses, concentraram todos os judeus que moravam na Holanda, em um campo de prisioneiros próximo a cidade de Assen, quase na divisa com a Alemanha. Milhares de judeus seguiram deste local direto para a morte nos campos de extermínios de Auschwitz-Birkenau e Sobibór, na Polônia
Anne e sua família esconderam-se em um apartamento em companhia de quatro judeus holandeses no inicio da ocupação alemã e depois viveram por 02 anos no sótão de um prédio que ficava atrás do escritório da família, que Anne chamava este local como o “Anexo Secreto”. As roupas e alimentos da família eram conseguidos pelos amigos de seu pai e esta situação permaneceu ate meados de 1944, quando a Gestapo, policia alemã, descobriu o esconderijo e todos foram enviados para Westerbork.
Já no campo de concentração, Anne e irmã Margot foram transferidas para o campo de Bergen-Belsen, próximo à cidade de Celle, no norte da Alemanha, para trabalharem como escravas, isto graças a suas juventudes, mas ambas vieram morrer em  março 1945, vitimas de tifo, uma doença que na época matava muita gente. Seus pais também foram selecionados para trabalho escravo, sendo que sua mãe morreu em Auschwitz e seu pai sobreviveu à guerra
Em rápido resumo, Anne Frank viveu sua vida toda praticamente na guerra. O seu olhar de criança e garota ainda, visto ter morrido com apenas 13 anos, relatou em seu diário, no tempo em que ficou escondida seus medos, esperanças e experiências. Todas suas anotações foram encontradas mais tarde, após a prisão de Anne pela Gestapo, por Miep Gies, uma das pessoas que havia ajudado a família a esconder-se em Amsterdã.  Quando a historia foi publicada, os povos que haviam participado e sofrido muito com a guerra tornaram Anne Frank  o símbolo da perda do potencial de todas as crianças que morreram no Holocausto.
Uma linda historia que não pode deixar de ser lida.

Recomendo mesmo,

domingo, 18 de setembro de 2011

O aniversário de uma vencedora


Hoje é uma data especial. Quando este blog foi criado, a intenção era somente publicar resenhas de livros, o que de certa forma vem sendo feito, mas de quando em quando, a rotina é quebrada, com a publicação de algum texto na data de aniversário de algumas  pessoas da familia, e todas foram bem aceitas pelos leitores, mas a homenagem de hoje é especial.  
Quem aniversaria hoje é minha querida  Maria do Carmo, mãe do Luis Antonio e Ana Lygia. Carminha, como é chamada na intimidade, que pra nós é como uma filha, tem se mostrado ao longo do tempo uma pessoa forte, que luta muito pela sua familia e não mede esforços, ao lado do Evandro, seu marido, para oferecer o melhor para seus filhos.
Numa data festiva como a de hoje, quero desejar que somente coisas boas possam acontecer ao longo da sua vida  e que sua fibra e determinação nunca esmoreçam. 
Fazer aniversário é um momento especial de renovação para sua alma e seu espírito, porque Deus, na sua infinita sabedoria, deu à natureza, a capacidade de desabrochar a cada nova estação e a nós capacidade de recomeçar a cada ano
Parabéns a você nesse dia tão grandioso.
Luis e Zezé
Veja que lindo poema abaixo.

FAZER ANIVERSÁRIO

Fazer aniversário é ter a certeza de que ao menos uma vez ao ano a vida será vista de uma maneira diferente.
Fazer aniversário é brincar de crescer e quem sabe mais tarde virar "gente".
É sorrir sem ter motivo ou chorar pela mesma coisa.
É ter de novo a certeza de que os sonhos ainda poderão se realizar.
É reconhecer que amigos se importam com a sua importância.
É contar o tempo que se viveu e o que se deixou de viver.
É luz na escuridão.
É lembrar da vitória de um dia ter sido embrião.
É aprender a valorizar o tempo.
É contar com a presença dos ausentes.
É tornar novo o que se fez velho.
É fazer do novo o sempre.
Enfim,fazer aniversário é contar, os minutos, as horas os dias meses e anos,e muito mais que tudo isso,
Fazer aniversário é saber que só se nasce uma vez e que por isso a oportunidade de viver é única e isso torna o valor da vida sem valor, porque Fazer aniversário é viver sem preço, mas viver feliz.


Lyndcey Lee

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Einstein


Esta semana, durante uma aula de Física, o professor comentou sobre Albert Einstein, que embora seja hoje considerada uma das maiores inteligências da Humanidade, tratava-se de um homem simples, simpático, mas ao mesmo tempo era impertinente e distante e mantinha relacionamentos pessoais difíceis, segredos e casos extraconjugais. Desprezava a Guerra e se divertia com seus status de celebridade. É desta maneira que o jornalista Walter Isaacson, que já foi presidente dos grupos de comunicação Time e CNN, no seu livro aclamado pela critica, Einstein: Sua Vida, Seu Universo, descreve este notável cientista. O livro foi escrito baseado numa coleção de cartas divulgadas após a morte da enteada de Einstein, conforme constava do testamento da mesma. Ele nasceu na Alemanha em uma família judaica não-observante em 14 de março de 1879 e quando ele tinha um ano, a família se mudou para Munique. Com três anos de idade, Einstein apresentava dificuldades de fala, mas aprendeu precocemente, já aos seis anos tocar violino, instrumento que o acompanharia ao longo da vida.

Einsten ainda jovem
Em 1885, Hermann fundou, com o irmão Jacob, uma empresa de material elétrico. Em outubro daquele ano Einstein começou a freqüentar uma escola católica em Munique. Depois entrou no Luitpold Gymnasium, onde permaneceu até os 15 anos. Em 1895
fez exames de admissão à Eidgenössische Technische Hochschule (ETH), em Zurique. Foi reprovado na parte de humanidades dos exames. Foi então para Aarau, também na Suíça, para terminar a escola secundária, o que ocorreu em 1896. Cursou o ensino superior na ETH em Zurique, onde mais tarde foi contratado como professor.

A Teoria da Relativadade

Entre 1909 e 1913 Einstein lecionou em Berna, Zurique e Praga. Voltou à Alemanha em 1914, pouco antes do início da Primeira Guerra Mundial. Aceitou um cargo de pesquisa na Academia Prussiana de Ciências junto com uma cadeira na Universidade de Berlim. Também assumiu a direção do Instituto Wilhelm de Física em Berlim.
Albert Einstein foi o físico que propôs a Teoria da Relatividade. Ganhou o Prêmio Nobel de Física de 1921 e tornou-se um símbolo mundial de inteligência e suas descobertas causaram uma profunda alteração do pensamento humano, com interpretações das mais variadas.
A foto mais conhecida e divulgada
O livro tem inúmeras passagens sobre a vida pessoal deste grande homem, escrito numa linguagem fácil e compreensiva. É uma obra indispensável para todos aqueles que se interessam por este assunto.


Vale a pena!


Fotos compiladas do Google

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Uma grande pessoa. Um grande neto.

 Estou plagiando o titulo desta publicação e retribuindo a gentileza que meu neto me proporcionou por ocasião do meu aniversário. Hoje é o dia do seu aniversário, 10 de setembro de 2011. Parece que foi ontem que ele nasceu, mas já se transcorreram 16 anos. Hoje, vamos festejar o aniversário de um jovem forte, bonito, cheio de saúde, mas que esteve perto da morte no seu nascimento. Quero, no relato abaixo, além de contar uma bela historia fazer uma justa homenagem a seus pais, Carminha e Evandro que lutaram muito pela saúde de seu filho. Sem eles e sem o amor que dedicaram, talvez eu não estivesse escrevendo esta historia hoje.
Luisinho era gordinho ainda bebe
Quando o Luis nasceu, tudo parecia dentro da normalidade, até a chegada dos exames rotineiros que são feitos em todos os recém nascidos e daí a noticia que ele tinha um problema no coração e teria que ficar internado na UTI, pois a doença era grave e necessitava de cuidados extremos. Assim foi feito e por vários dias a situação não se modificava até que os médicos que cuidavam dele optaram por transferi-lo para São Paulo, onde poderiam encontrar mais recursos médicos para sua doença. Foram horas, dias e semanas de muita angustia e medo. O quadro clinico permanecia inalterado e tudo que os médicos estavam tratando era uma pneumonia e nenhum tratamento voltado para o coração foi feito naquela época.

Ana, Juninho, Victor, Sabrina e Luisinho
 A partir dos 10 anos, com autorização médica, ele começou a praticar esporte, respeitando o seu limite físico. Primeiramente, praticou hipismo e junto com sua irmã Ana Ligia, dominaram a arte de montar e neste esporte venceram inúmeras provas, chegando a saltar mais de 1,30m.

Ana Lygia e Luisinh, ao vencerem uma prova  no Hipismo


Também, seguindo conselhos médicos, eles deixaram o hipismo e passaram a freqüentar uma academia de ginástica. Embora a preocupação com sua saúde fosse muito grande, o Luis surpreendeu a todos, evoluindo a cada dia nos seus treinamentos e hoje mantém índices de atleta, com grande desempenho em todas atividades físicas. Mantém a saúde controlada, mas jamais precisou tomar qualquer tipo de remédio para seu problema cardíaco. Depois de algum tempo, já restabelecido, ele teve alta e nunca mais ficou doente. Até hoje ele faz acompanhamento médico e embora tenha realmente uma anomalia no coração, este problema nunca o impediu de levar uma vida saudável e cheia de vitorias.

Os primos Juninho, Nathalia, Murilo, Victor, Luisinho, Ana Lygia e Sabrina
 Bom aluno, sempre teve um bom desempenho na escola até que um dia aconteceu um fato que iria mudar sua vida. Era época de provas e a despeito do apoio do seu pai, ele não conseguiu obter notas satisfatórias em algumas matérias e ganhou um castigo inusitado: teria que ler 10 livros como castigo. Ele leu os 10 livros rapidamente e tomou gosto pela leitura. Hoje é um jovem conhecido, talvez um dos maiores leitores da atualidade, mas continua com sua grande característica que sempre o norteou, desde sua infância: a humildade. 
Com seus amigos

Num espaço pequeno como o que o blog oferece, tenho que condensar ao máximo esta minha historia, mas ainda tem espaço suficiente para deixar minha homenagem e minha admiração a um grande homem. Embora ainda um garoto na idade, já é um adulto maduro no seu comportamento. Meu querido neto te desejo sempre que o melhor sempre te aconteça e que sua caminhada seja sempre vitoriosa como foi até hoje. Nunca desanime e nem perca a motivação. Você vai ser um grande vencedor e eu vou estar sempre ao seu lado te apoiando.



Feliz aniversário.


Luis Antonio (avô)








terça-feira, 6 de setembro de 2011

Como Falar em Publico


Izidoro Blikstein
Como falar em publico? Eis ai uma pergunta fácil de fazer e dificil de responder. Eu, como a maioria de vocês, também tenho dificuldade para falar em publico. É dificil quebrar a timidez de enfrentar um grupo de pessoas, na maioria das vezes desconhecidos e passar a mensagem que você propoem fazer.
Ainda com 14 anos, iniciando o segundo grau, com a mudança de escola e metodo de ensino, os professores sempre nos desafiava a responder perguntas ficando de frente para os colegas de classe e em voz alta, transmitir a resposta da pergunta para que todos ouvissem. Confesso que no inicio foi dificil, mas com o passar do tempo, já familiarizado com os colegas, a tarefa era mais fácil de ser realizada.
Um certa ocasião fui convidado pela Rede Globo  ir a São Paulo visitar a Bienal do Livro e naquela ocasião fui colocado a prova, pois tive que conversar com autores de livros, dar entrevistas e debater um livro com o reporter Rodrigo Alvares. Confesso que estava muito preocupado, afinal, o nervosismo sempre trabalha contra. No final das contas, acho que me sai relativamente bem, mas vendo as reportagens posteriormente, vi que tinha que melhorar meu desempenho, minha dicção e minha comunicação se eu quisesse falar em publico.

Reinaldo Polito

Resolvi procurar respostas nos livros.  Li 02 livros a respeito e recomendo a leitura deles para quem realmente quer quebrar a inibição de falar em publico. Neles encontrei técnicas que possibililitam o treinamento e vão dando a segurança necessária para que a comunicação para um grupo de pessoas seja feita de uma maneira mais clara. Umas dicas valiosas são as seguintes





Decore o texto, se possivel, mas saiba exatamente o que vai dizer no início da fala, pois neste momento estará ocorrendo maior liberação da adrenalina.

Leve sempre um roteiro escrito com os principais passos de apresentação, mesmo que não precise dele. É só para dar mais segurança.

Se tiver que ler algum discurso ou mensagem, imprima o texto em um cartão grosso ou cole a folha de papel numa cartolina, assim, se as suas mãos tremerem um pouco o público não perceberá e você ficará mais tranqüilo.

Ao chegar diante do público não tenha pressa para começar. Respire o mais tranqüilo que puder, acerte devagar a altura do microfone (sem demonstrar que age assim de propósito), olhe para todos os lados da platéia e comece a falar mais lentamente e com volume de voz mais baixo. Assim, não demonstrará a instabilidade emocional para o público.

No início, quando o desconforto de ficar na frente do público é maior, se houver uma mesa diretora, cumprimente cada um dos componentes com calma. Desta forma, ganhará tempo para superar os momentos iniciais tão difíceis. Se entre os componentes da mesa estiver um conhecido aproveite também para fazer algum comentário pessoal.

Antes de falar, quando já estiver no ambiente, não fique pensando no que vai dizer, preste atenção no que as outras pessoas estão fazendo e tente se distrair um pouco.

Antes da apresentação evite conversar com pessoas que o aborreçam, prefira falar com gente mais simpática.

Antes de fazer sua apresentação, reuna os colegas de trabalho ou pessoas próximas e treine várias vezes. Lembre-se de exercitar respostas para possíveis perguntas ou objeções, com este cuidado não se surpreenderá diante do público.

Se der o branco, não se desespere. Repita a última frase para tentar lembrar a seqüência. Se este recurso falhar, diga aos ouvintes que mais a frente voltará ao assunto. Se ainda assim não se lembrar, provavelmente ninguém irá cobrar por isso.

Todas essas recomendações ajudam no momento de falar, mas nada substitui uma consistente preparação. Use sempre todo o tempo de que dispõe.

Isto não significa que apenas com estes conselhos você vai conseguir realizar todas as proezas de enfrentar um publico, mas é o inicio de um treinamento. O segredo e treinar e treinar muito.

Vale a pena ler estes livros.