Translate

sexta-feira, 11 de março de 2011

MAO TSE-TUNG - A HISTÓRIA DESCONHECIDA

 

“Mao – A História Desconhecida” da autora chinesa, Jung Chang, em parceria  com o historiador britânico, Jon Halliday,  descreve a biografia de Mao Tse Tung.
Mao Tsé-Tung nasceu no dia 26 de dezembro de 1893, na aldeia de Shaoshan,  na Província de Hunan na China. 
Filho de camponeses, freqüentou a escola até os 13 anos de idade quando foi trabalhar como lavrador. 
Após alguns conflitos com seu pai, resolve sair de casa e  voltar a estudar em Changsha, capital da província. Lá, conheceu as idéias das políticas ocidentais e especialmente as do líder nacionalista Sun Yat Sen.
Em outubro de 1911 iniciou-se a Revolução contra a Dinastia Manchu que dominava a China. As lutas se estenderam até Hunan. Mao Tsé-Tung alistou-se como soldado do Exército Revolucionário e lá permaneceu até o início da República Chinesa, em 1912.
De 1913 a 1918 estudou na Escola Normal de Hunan, onde aprendeu filosofia, história e literatura chinesa. Continuou estudando e assimilando o pensamento ocidental e político. Tornou-se líder estudantil com participação em várias associações e mudou-se para Pequim em 1919, onde cursou Filosofia e Pedagogia. Mao Tse Tung, na epoca, trabalhou na Biblioteca Universitária e lá conheceu Chen Tu Hsiu e Li Ta Chao fundadores do Partido Comunista Chinês.
Ele participa do Movimento Quatro de Maio que era contra a entrega de regiões chinesas ao Japão, que haviam estado em poder da Alemanha. Em função deste episódio rendeu-se ao marxismo-leninismo e em 1921 Mao Tsé-Tung participa da fundação do Partido Comunista Chinês.
Nos primeiros anos, já à frente do Partido Comunista Chinês, insistiu contra a linha pró-soviética de seus aliados, no potencial revolucionário do campesinato, que era o Inquérito sobre o Movimento Camponês em Hunan.
Em 1927, Chiang Kai Shek, um militar politico assume o poder do Kuomintag, um partido conservador da China na epóca e se volta contra os comunistas.
Mao Tsé-Tung  rompe com o Kuomintang e organiza um movimento revolucionário em Hunan e Jiangxi, fundando, em 1931, um soviete que se defende dos ataques dos aliados, adotando táticas de guerrilha.
Em outubro de 1934, Mao Tsé-Tung e seu exército rompem o cerco das tropas do Kuomintang e seguem para o noroeste do país, iniciando a Grande Marcha até Yanan, na província de Saanxi, transformada em nova região sob controle comunista.
Essa ação espetacular reafirmou sua Independência do Kuomintang e tornou Mao Tse Tung a principal personalidade do Partido Comunista Chinês.
Em 7 de julho de 1937, os japoneses invadem a China após o Incidente Lugouqiao, também conhecido como Incidente da Ponte de Marco Polo, o que demarca o início da Segunda Guerra Mundial na Ásia.
De 1936 e 1940 Mao Tsé-Tung fica contra as propostas dos comunistas pró-soviéticos, e consegue impor seu ponto de vista, afastando do partido quem discordava dele.
Em 1945, Mao Tsé-Tung foi considerado oficialmente chefe do Partido Comunista Chinês, sendo  nomeado presidente do Comitê Central. Após a invasão japonesa e com o término da guerra,  o exército revolucionário comunista tinha cerca de um milhão de soldados e controlavam politicamente noventa milhões de chineses.
Em 1937, depois do ataque do Japão a China, o Partido Comunista Chinês e o Kuomintang se aliam novamente, mas esta aliança durou pouco, pois com o fim da Guerra Mundial, estourou na Chinan uma guerra civil entre comunistas e nacionalistas que durou até 1949 quando o Kuomintang foi finalmente derrotado.
Em 1 de Outubro de 1949 foi proclamada na Praça Tiananmen, em Pequim, a República Popular da China. Em dezembro deste mesmo ano Mão Tse Tung torna-se Presidente da República.

Em 1954, após a promulgação da nova Constituição, Mao Tsé-Tung é reconduzido à Presidência da República.
Após a consolidação do poder comunista, discordando da linha soviética, Mao Tsé-Tung mantem firme à idéia do desenvolvimento da luta de classes. Entre 1956 e 1957, a campanha conhecida como Campanha das Cem Flores, deu a ele novo impulso, através da liberdade de expressão.
Entre 1957 e 1958, iniciou uma política de desenvolvimento nomeada como Grande Salto, que tinha como base a industrialização associada à coletivização agrária. O "Grande Salto" foi um desastre econômico que colocou a China numa epidemia de fome que adoentou milhões de chineses.
Em virtude disso Mao Tsé-Tung foi retirado de alguns cargos e, em 1959, Liu Shaoqi assume a Chefia do Estado, mas mesmo assim, Mao Tsé-Tung continua influente, como ficou claro no corte de relações com a União Soviética, devido as grandes diferenças nas políticas tanto interna como externa.
Mas o nome de Mao Tsé-Tung não foi afetado internacionalmente, pois logo após a morte do ditador russo Stalin, em 1953, ele torna-se a personalidade mais influente do comunismo internacional.
Muitos dos programas sociais de Mao são criticados, tanto nos meios internos quanto nos meios externos à China. Estes programas foram considerados causadores de fatos prejudiciais à cultura, sociedade, economia, relações exteriores da China e também pela morte de 42 a 70 milhões de pessoas.
Buscando fortalecer-se pessoalmente, Mao Tsé-tung deu início, em 1966, a Revolução Cultural, um movimento envolvendo toda a população chinesa que tinha como objetivo se livrar de seus opositores no governo.
Esse movimento, que tinha o objetivo de unir o trabalho manual ao intelectual, ativou o fervor revolucionário, a participação popular, a produtividade e atacou a burocratização partidária e governamental, que logo desdobrou-se em críticas ao Partido Comunista Chinês, aos opositores de Mao, atraindo a participação de toda a sociedade contra o inimigo capitalista.
Os dazibaos, jornais-murais feito por populares espalham-se pelo país divulgando o movimento e a Revolução Cultural logo se transforma numa luta pelo poder, empreendida pelo grupo maoísta, sustentada pelo Exército Popular de Libertação, liderado por Lin Piao, contra o grupo de Liu Shaochi e Deng Xiaoping, opositores de Mao no PCC. 
O movimento cresceu, multiplicando as organizações revolucionárias que se inspiravam no livro Pensamentos de Mao Tsé-Tung, conhecido como “Livro Vermelho”, onde firmavam-se as idéias de reeducação socialista, críticas ao burocratismo, fidelidade a Mao e alerta contra o inimigo.

A esposa de Mao, Chiang Ching, era a quem comandava o Grupo Central da Revolução Cultural, que acabou não só com os acusados de direitistas como também com os ultra-esquerdistas, que pretendiam aprofundar mais as críticas, prejudicando assim o andamento da Revolução. No final de 1967 e início de 1968, consolidou-se a autoridade de Mao que expulsou do partido seus opositores.
Mao Tse Tung transforma-se no líder máximo nacional, passando a ser aclamado de “o grande timoneiro”
Ao ampliar seu poder, Mao, em 1970, entrou em choque com Lin Piao, seu sucessor e chefe do Exército Popular. Lin Piao  é derrubado do comando militar e morre em 1971, quando tentava fugir para a União Soviética, atual Rússia em um avião.
Em janeiro de 1976, morre o Primeiro Ministro da China, Chou En-lai, criador das tendências do Partido Comunista Chinês, e em setembro Mao Tsé-tung morre aos 83 anos de idade, abrindo um novo caminho na disputa pelo poder na China.
Esta é a incrível vida do ser mais influente na cultura e na política chinesa de todos os tempos.
Fantástico.
Recomendo a todos.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário