Translate

sábado, 30 de junho de 2012

1929 - A Grande Crise


Embora ainda não esteja envolvido diretamente com o assunto Economia, não pude ficar indiferente esta semana às noticias desta área, principalmente pela queda das ações do grupo OGX, do multimilionário brasileiro, Eike Batista. A queda do valor das ações das empresas ligadas à este grupo foram enormes, chegando a 40% em apenas 03 dias, que representam bilhoes de reais. É curioso o processo dinamico que denominamos de "Mercado". De um instante para o outro, fortunas são perdidas ou ganhadas e isto me levou a publicar um rapido resumo de um livro que li no inicio do ano, que julgo apropriado para o momento. Trata-se do livro "1929 - A Grande Crise" do escritor canadense John Kenneth Galbraith. Considerado um intelectual publico em Economia, publicou vários livros que foram sucessos editoriais.
O tema abordado pelo livro enfoca o momento vivivo pelo Estados Unidos da América e também do resto do mundo capitalista. A idéia que prevalecia sobre a sociedade americana era a possibilidade de conseguir "dinheiro fácil" e que o enriquecimento rapido era certo. Era tão certo isso, que quase todos os americanos apostavam todo seu dinheiro na especulação financeira, um hábito que ainda hoje eles mantém, evidentemente com a mudança da economia e com os controles governamentais, num grau muito menor.

Grafico da Bolsa em 24 de outubro de 1929
Em 1929 foi  ápice de uma grande crise economica que teve inicio em 1920. Conhecida como Quebra da Bolsa de Nova York, ela ocorreu num momento que o mundo ainda estava fragilizado, se recuperando do Primeira Guerra Mundial em 1918. Com o fim da Guerra, Os Estados Unidos obtiveram grandes vantagens no mercado mundial e passaram a exportar grandes quantidades de alimentos e fazer emprestimos de grandes volumes de dinheiro para os Paises da Europa, devastados pela guerra. Com isso a economia americana estava aquecida e o mercado em alta.
Como nada é eterno, os paises europeus foram se recuperando economicamente e diminuiram a importação dos produtos industrializados e agricolas dos americanos. Esta redução teve um grande reflexo, pois a enorme produção agricola dos Estados Unidos nesta epoca, principalmente do trigo, não encontrava comprador no exterior e o consumo interno não era suficiente para absorver as colheitas produzidas. Com isso o poder de compra dos americanos diminuiu, o comércio perdeu forças e as industrias, não tendo pra quem vender, reduziram a produção e demitiram funcionários.
Com este cenário, o mercado entrou em queda e com isso a Bolsa de Valores de Nova York, no dia 24 de outubro de 1929 entrou em colapso e quebrou.
Protestos dos trabalhadores em 1929
Bancos, industrias, comércios e empresas rurais foram a falência e milhoes ficaram desempregados e deste momento foram relatados muitas historias de vandalismo, assassinatos, suicidios.
O mundo foi afetado com esta Grande Crise, inclusive o Brasil, que vendia café para os Estados Unidos. Com a redução da venda deste produto, o preço do café caiu muito e só não causou um caos maior nos preços, graças a intervenção do governo brasileiro. Mas ai começa outra historia.

Conheçam este livro, vale a pena.






·     

quinta-feira, 14 de junho de 2012

ODISSEIA DE HOMERO



Perguntaram-me outro dia se eu já havia lido “Odisseia “ de Homero. Ainda não, mas me interessei  pelo assunto e fiz uma pesquisa sobre esta obra e consegui  juntar algumas  informações a respeito, que poderá despertar a curiosidade de vocês também.
Quem foi Homero? Esta foi minha primeira curiosidade. Ele foi um poeta grego, que segundo a história, é atribuída a ele a autoria dos livros “Ilíada” e “Odisseia”. Teria vivido no século IX A.C. e ainda segundo os relatos publicados, ele era cego e percorria o mundo da época recitando seus poemas. Pelo que pude apurar, grupos de estudiosos sobre o assunto simplesmente ignoram sua existência e outros defendem que Homero existiu, mas que apenas contava poesias anônimas da época. Bem, de uma forma ou outra, a verdade é que os poemas atribuídos a ele tiveram imensa popularidade na Antiguidade e serviram de base para todos os poetas épicos gregos ou latinos e desde o Século XVI, elas ocupam lugar de destaque na literatura clássica europeia e até hoje ainda é referenciada.

“Odisseia” narra as aventuras, em duas partes, de Ulisses durante 10 anos de ausência do lar, onde ele lutara na Guerra de Troia, ao lado dos gregos e de sua volta para casa. A Primeira parte foca os acontecimentos que obrigam Ulisses a se afastar de casa, forçado pelas dificuldades criadas pelo Deus Posêidon. E a segunda narrativa descreve sobre sua volta ao lar sob a proteção da deusa Atena.
A Assembleia dos Deuses é a primeira parte da narrativa, Atena vai a Ítaca animar Telêmaco, filho de Ulisses, que luta contra os pretendentes da mão de Penélope, sua mãe, após a partida do seu pai. Ela o envia em busca de Ulisses em Pilos e Esparta, mas em vão. Ulisses estava prisioneiro na Ilha Ogígia por ordem da deusa Calipso. Posteriormente Calipso liberta Ulisses por ordem de Zeus, que atendeu a um pedido de Atenas.

Após ser libertado, depois de sete anos de cativeiro, ele parte numa jangada de volta pra casa, mas uma tempestade desencadeada pelo deus Posêidon o leva a Ilha dos Feaces onde conhece Nausicaa, filha do rei Alcínoo. Lá ele é bem recebido pelo rei e passa mostrar sua capacidade e destreza em competições esportivas da época. Ulisses conta ao rei suas aventuras desde que saiu de Troia, quando passou pelo país dos Cícones, dos Lotófagos, da sua luta contra o ciclope Poliferno; da passagem na Ilha de Eólo, quando junto com seus companheiros, solta os sacos onde estão presos os ventos e provocam um imensa tempestade. Relata também o encontro com a feiticeira Circe, que transforma seus parceiros em porcos; sua passagem pelo País dos Mortos, onde encontra sua mãe e outros mortos da Guerra de Troia.

Depois de um tempo em na Ilha de Feaces, ele volta a Ítaca, seu lar, mas mesmo sendo rei por direito, volta num disfarce de mendigo, mas logo é reconhecido pelo seu filho Telêmaco e por uma criada, que reconhece uma cicatriz que Ulisses tinha no pé.
Como escrevi mais acima, com a partida de Ulisses, havia várias pretendentes para casar com Penélope e foi então colocada como condição para ser o escolhido, ter o candidato conseguir atirar com um arco uma flecha que  pudesse atravessar doze machados. Nenhum até então havia conseguido e Ulisses, ainda disfarçado de mendigo, consegue. Depois do feito, ele se mostra finalmente para Penélope, que reconhece nele o seu verdadeiro esposo.

Ulisses então parte para a vingança contra seus inimigos, que são dizimados por ele e encaminhados ao Inferno por Hermes. Este período somente termina quando a deusa Atena impõe uma reconciliação entre Ulisses e as famílias dos inimigos mortos na sua vingança.
Embora ainda não tenha lido o livro, pude notar nas publicações encontradas que se trata de uma leitura difícil, mas com um historia belíssima, cheias de aventuras, que muitas delas já foram retratadas nos cinemas, como  filme “Troia”.
Vale a pena conhecer sobre o assunto.


fotos e informações obtidas pela Internet

terça-feira, 12 de junho de 2012

Getúlio Vargas (1882-1930)


No dia 19 de abril de 1882, no interior do Rio Grande do Sul, São Borja, filho de Manuel do Nascimento Vargas e de Cândida Francisca Dorneles Vargas, nasceu um dos maiores nomes da historia do Brasil, Getulio Vargas. Sua juventude foi bem conturbada, fazendo com que ele chegasse a alterar documentos para fazer constar o ano de nascimento como 1883. Este fato somente foi descoberto nas comemorações do seu Centenário de Nascimento, quando, verificando os livros de registros de batismos da Paróquia de São Francisco de Borja, descobriu que Getúlio Vargas nasceu em 1882, conforme assento de batismo.
Getúlio Vargas nasceu de uma tradicional família da zona rural da fronteira com a Argentina. Os Vargas, como são conhecidos, são originários do Arquipélago dos Açores, e assim como a maioria das famílias povoadoras do Rio Grande do Sul que emigraram para o Brasil em busca de melhores condições de vida.
O casamento de Getúlio Vargas aconteceu na cidade de São Borja, em 4 de março de 1910, com Darcy Lima Sarmanho e tiveram  cinco filhos: Lutero Vargas, Getulinho,  Alzira Vargas, Jandira e Manuel Sarmanho Vargas. Este casamento foi um ato de conciliação, pois as famílias dos noivos apoiavam  partidos políticos rivais na Revolução Federalista de 1893. A família de Darcy Sarmanho era maragato, do Partido Federalista do Rio Grande do Sul, e a de Getúlio ximango, do Partido Republicano Rio-grandense.
Getúlio Vargas iniciou sua carreira politca elegendo-se deputado estadual pelo Partido Republicano Riograndense, o PRR, sendo reeleito em 1913. Renunciou ao 2º mandato  pouco tempo depois de empossado, em protesto às atitudes tomadas pelo então Presidente (governador) do Rio Grande do Sul, Borges de Medeiros, nas eleições de Cachoeira do Sul.
Retornou à Assembleia Legislativa Estadual em 1917, que tinha na época o nome de Assembléia dos Representantes, sendo novamente reeleito em 1919 e 1921. Na legislatura de 1922 a 1924, Getúlio foi eleito líder do PRR e, segundo o suplemento especial da Revista do Globo de agosto de 1950, na condição de líder da maioria, Getúlio se mostrou conciliador e dirimiu conflitos do PRR com a minoria do Partido Federalista do Rio Grande do Sul, o qual em 1928, tornou-se o Partido Libertador.
Um livro fantástico. Este é um breve relato da primeira parte da trilogia que conta a vida de Getúlio Vargas, que Lira Neto, jornalista cearense, nascido em Fortaleza em 1963, que fez talvez a mais profunda pesquisa sobre um brasileiro que marcou epoca na vida e na formação de um Brasil forte.
Vale a pena a leitura.
Recomendo a todos.

terça-feira, 5 de junho de 2012

O Retrato de Dorian Gray

Leio muitos livros e sempre que posso publico uma  rápida resenha sobre o que li, sempre com o objetivo de convida-los a conhecer obras, que na minha opinião, são muito legais e interessantes. Na resenha de hoje recomendo a leitura de um clássico da literatura inglesa, aclamado em toda parte do mundo, vindo inclusive ser um grande sucesso no cinema. Trata-se de "O Retrato de Dorian Gray", escrito por Oscar Fingal O'Flahertie Wills Wilde e publicado em 1890. Mais de um século depois, ainda é um grande sucesso editorial.
A narrativa do autor, levando em conta a ápoca que foi escrito o livro, tem uma linguagem até dificil de entender, considerando a utilização de muitas palavras que hoje não são mais utilizadas, mas isto não tira a beleza da obra. No final, além do envolvimento natural com os personagens, podemos aprender um quantidade de palavras novas (velhas).
A narrativa do autor, nos leva a conhecer a historia de Dorian Gray, um jovem inglês, de rara beleza.
Sua beleza era tanta quanto sua ingênuidade. Era tão inocente que se deixava levar por tudo e por todos, sem contestação. Numa ocasião, ele conhece o outro personagem principal do livro, Lorde Henry, uma pessoa cinica, egoista, machista, que faz tudo pensando somente nele, não se importando em nada com os sentimentos das outras pessoas. Dorian passa conviver com Lorde Henry e passa também a se comportar como o seu amigo, sendo totalmente influenciado pelos habitos do seu "tutor". A partir dai a personalidade de Dorian muda. Já não é aquela pessoa inocente, pura. Agora é uma pessoa fria, egoista.
Dorian conhece Basil, um pintor, que lhe faz um retrato e o presenteia com o mesmo. Este retrato possui um encantamento que Dorian vai perceber somente mais tarde. Um dia, conhece Sibyl Vane, uma linda menina e ótima atriz e por conta destes predicados, julga-se perdidamente apaixonado por ela, mas quando a mesma se envolve num acontecimento fortuito, ela a deixa imediatamente, sem dar a menor importancia aos sentimentos de Sibyl, com a justificativa que ela já não era boa o suficiente para ele. Chegando em casa, naquele mesmo dia, Dorian nota que o retrato pintado por Basil ganha alguns traços que dão a ele um ar de crueldade e velhice. Este é o encantamento do quadro: Dorian permanece para sempre belo e jovem enquanto a sua imagem no quadro envelhece a cada dia. Parece ser o sonho de todos, não?
Ainda sou jovem e não disponho de formação academica para discutir alguns assuntos abordados no livro, como o tratamento dado as mulheres, que são literalmente humilhadas pelo personagem Lorde Henry. O livro trata também sobre um assunto muito presente nos dias de hoje: a beleza. Será que esta busca quase insana em busca da beleza é o passaporte para um vida plena? Será que é tão importante a beleza para sermos felizes? E a amizade? O autor também trata deste tema e  numa mensagem da trama, fica o questionamento sobre a influência que uma amizade pode causar na formação do carater de uma pessoa.

Vale a pena ler este livro