Translate

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Informar e Prevenir


As campanhas publicitárias sempre têm dois focos distintos: o adulto onde prevalecem publicidades sobre e carros e as crianças, o seu maior filão. As campanhas publicitárias nas televisões, outdoors, publicidades em geral, fazem um apelo a consumidor utilizando as crianças como arma de vendas, pois a criança pela imaturidade irá pedir tal mercadoria aos pais, aumentando assim a aprovação do produto no mercado.
 O mercado de brinquedos é um dos mais explorados, pois através dele a criança consegue se imaginar vivendo o mundo dos adultos e daí o sucesso deste tipo de produto, como carrinhos, bonecas, entre outros, onde os publicitários demonstram para as crianças que isto a trará benefícios que não são encontrados no dia-a-dia, como, brincar de dirigir um carro, que é fornecido pelo carrinho de controle remoto, até mesmo a criação de uma criança, as bonecas.

 Estes brinquedos, de certa forma, colaboram no desenvolvimento das crianças, mas quem sofre são os pais, pois brinquedos custam caro e quase sempre são comprados com base do emocional e acabam comprometendo o orçamento familiar. Para as famílias bem sucedidas financeiramente, isso acaba se tornando só mais um brinquedo para a criança, mas para as famílias de baixa renda, um brinquedo sofisticado compromete a renda familiar.

Uma solução encontrada para amenizar esta situação á a transparência dos pais em relação às crianças. A família não pode se submeter somente à vontade e insistência dos filhos.  Tudo precisa ser analisado. Um brinquedo é importante, afinal a criança precisa brincar, mas é muito mais importante que a mesma venha realmente merecê-lo e que este prazer não cause um descontrole nas finanças da família.

Além dos brinquedos,  a publicidade explora muito as crianças quanto aos alimentos industrializados que cada vez mais mexe com o psicológico das crianças. A força desta indústria é tão grande que as verduras, legumes e frutas, que são essenciais no desenvolvimento e na saúde, não só das crianças, mas de todos, sejam deixados em segundo plano, ocasionando o sobrepeso e a obesidade infantil.

Pesquisas feitas pelo IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas, em 2010, mostra que em meninos de 5 a 9 anos o sobrepeso atinge 34,8% e 32% das meninas nessa faixa etária. A faixa de obesidade neste grupo foi entre 16,6% dos meninos e entre 11,8% das meninas. O mesmo estudo revela que entre os adolescentes entre 10 e 19 anos o excesso de peso atinge 21,7% do total dos meninos e a obesidade, 5,9%. Entre as meninas, 15,4% mostravam sobrepeso e 4,2%, obesidade.

Portanto, embora sejam necessárias as propagandas, cabe ainda a responsabilidade final aos pais de cuidar de maneira adequada de seus filhos. Eles devem aprender como agir diante do pedido dos filhos. Devem preservar o orçamento familiar, sem prejudicar o emocional da criança além do cuidado com os produtos industrializados.


Fotos obtidas pela Internet - Fonte Google

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Lixo: Problemas e Soluções

 

Um dos assuntos mais comentados dos últimos tempos é o lixo, tendo em vista diversos acontecimentos no qual o maior culpado, além do homem, é o lixo espalhado por todos os cantos das cidades. Providências foram tomadas, mas nada que tenha acabado ou de alguma forma diminuído a permanência de tal mal.
Situações causadas pela enormidade de lixo nas ruas, poluindo o meio ambiente, têm causado varias conseqüências a população, como por exemplo, talvez a mais conhecida, as enchentes, que apesar de as vezes serem desastres naturais, tem ocasiões em que a mesma acontece por causa do entupimento dos bueiros nas grandes e pequenas cidades, feita pelo lixo que é jogado nas ruas por cada cidadão inconsciente do mal que ele pode estar causando. Tendo em vista o problema, a sociedade transmite a culpa para o governo, cobrando-o novos bueiros, sendo que na verdade a grande solução é, talvez, apenas uma campanha de conscientização.

Outro fator muito discutido foi o fim das sacolas plásticas oferecidas pelos supermercados em geral, tal ação ocasionou uma satisfação para uma parte da população enquanto desagradou a outra. De certa forma, é uma atitude radical retirar as sacolas dos supermercados, mas é necessário, apesar de a sociedade sofrer um pouco com as compras, o meio ambiente agradece a iniciativa.
Há diversos outros problemas ou questionamentos em relação ao lixo, como, a ameaça de explosão do Shopping Center Norte, em São Paulo, que havia sido feito em uma localização, onde antigamente era um lixão, ou seja, no local dito o solo estaria contaminado, por isso a emissão de gases que estavam sendo liberados pelo shopping, poderia ocasionar a explosão. Este é mais um fato que envolve o lixo, mas de outra maneira, agora representado os lixões que cada vez mais polui e acaba com o solo. A única solução é aniquilar esses e investir nos aterros sanitários.

Portanto, a poluição no Brasil e no mundo só ira acabar um dia se todos fizerem a sua parte, o governo com as campanhas e com os investimentos corretos e a sociedade com a cabeça voltada a ajudar o meio ambiente, na intenção de ter um planeta melhor e limpo.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Meu Nome é Vermelho

“Meu Nome é Vermelho” do autor Orhan Pamuk, ganhador do Premio  Nobel de Literatura de 2006, revela a vida do final do século XVI na Turquia. Mesclando narradores a cada capitulo, Orhan Pamuk, demonstra todo seu talento de persuasão e entendimento sobre o assunto que se propõe a tratar, ao fazer toda a trama dos personagens sobre sua terra natal, Istambul.
“Meu Nome É Vermelho”, retrata a historia de uma arte que hoje praticamente não existe mais, ou é muito rara, que é o iluminista, extraordinários artistas que retratavam em figuras pintadas a mão, trabalhos ricos em detalhes. Os livros escritos e ilustrados por estes profissionais podem ser encontrados em grandes bibliotecas ou em fotos pela internet. Um trabalho grandioso.

Vista de Istambul

A historia do livro  inicia com uma viagem até Istambul, do século XVI onde  a cidade estava em festa, pois comemoravam o primeiro século de Hergira, cerimônia esta que celebra a partida do profeta Maomé e seus seguidores da cidade de Meca para Yatrib  no ano 622 da Era Cristã.
Para comemorar este evento grandioso, o sultão encomendou que fosse escrito e desenhado um livro que pudesse representar a riqueza e o poder do Império Otomano, que passava o seu melhor momento.  Para realizar esta obra são convidados os mais renomados pintores miniaturistas da época.

modelo de iluminurias
O objetivo do sultão era  os pintores miniaturistas  fazerem as iluminuras com técnicas ocidentais, na qual transparecesse o modo de florescimento da pintura renascentista. Esta forma de editar o livro afrontava diretamente os princípios islâmicos e daí inicia o desenrolar deste grande romance.
U
m iluminista da corte aparece morto no fundo de um poço e dai inicia-se uma historia não só de mistério, mas também uma história de amor.  A narrativa desenrola-se em torno das investigações deste homicídio, contada alternadamente por diferentes personagens, a maioria humanas, mas também por animais e objetos. Um romance exótico onde se espelha a tensão entre Ocidente e Oriente. Quem seria o responsavel pelo crime?
Outra amostra do trabalho
Todos suspeitavam dos islâmicos, mas ninguém podia afirmar ou será que foi alguma rivalidade profissional? Crime passional?’ Ninguém sabia.Esse suspense se prolonga por vários capítulos, sendo passada a narração por vários personagens.
Um dos personagens, Negro depois de ficar  doze anos de ausente,  volta a Istambul e é convocado a assumir o caso e desvendar o mistério, porém como naquela época a política era muita rígida, foi dado ao Negro apenas três dias para ele descobrir que teria sido o assassino do miniaturista. Caso conseguisse essa façanha no prazo determinado,  poderia se casar com seu único e verdadeiro amor, a bela Shekure, mas se não conseguisse seria condenado a morte.
Negro começa as investigações e o autor narra historias contados por diversos personagem, entre eles um cachorro, um cadáver, uma moeda falsa e até a cor Vermelho,
 que da nome ao livro, e que seria um dos grandes aliados para o descobrimento do mistério que a tempos tirava o sono de muitas pessoas.
Vencido o prazo de
  três dias, Negro  teria que contar a todos o que havia descoberto, se é que havia descoberto algo. A ansiedade e o medo tomavam conta do herói do livro, que apesar do  nervosismo e pressão que sofria, sabia quem era o assassino, mas sabia que ao revelar o nome, seria  um choque para todos.
Um lindo trabalho
Querem saber o final desta historia? Se eu contar aqui e agora vou criar o desinteresse em muitos, razão que sugiro a leitura do mesmo. O livro é maravilhoso.
.
Recomendo a todos.