Translate

segunda-feira, 4 de abril de 2011

O Ultimo Trem de Hiroshima

“O Ultimo Trem de Hiroshima” de Charles Pellegrino, escritor americano, nascido em Nova York. Professor PH D em zoologia é autor de diversos best-seller internacionais, como Titanic, uma das principais fontes para realizar o filme Titanic,   uns dos campeóes em bilheteria do cinema de todos os tempos.
Charles Pellegrino descreve os fatos contados pelos sobrevivente daqueles dois dias de bombardeios sobre as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki, e que determinaram a rendição do   Japão e a morte de milhares de japoneses.
Ao fim da Segunda Guerra Mundial, no dia 6 de agosto, a Força Área dos EUA, cumprindo ordens do presidente americano da época Harry S. Truman, bombardeou Hiroshima com uma bomba atômica conhecida Little Boy.

Antes do bombardeio Hiroshima era considerada uma pequena base de pouca importância de fornecimentos e de logística para os militares japoneses. A cidade era um centro de comunicações, um ponto de armazenamento, e uma zona de reunião para tropas.
No centro da cidade havia vários edifícios e outras estruturas menores, como casas e diversas lojas. Em volta do centro a cidade estava repleta de oficinas de madeiras, construídas entre as casas japonesas. A maioria das grandes fabricas estavam no limite urbano. As casas eram, na sua maioria, de madeira com tetos de telha, sendo também de madeira vários dos edifícios fabris. A cidade era assim, no seu todo, extremamente frágil a danos por fogo.
Hiroshima estava sempre crescendo em numero de habitantes, finanças, educação, entre outros, chegando atingir uma população de mais de 380.000 pessoas no início da guerra. 
Devido a uma mudança no sistema de administração, ordenada pelo Goveno Japonês,  antes de agosto de 1945 - quando houve o ataque com bomba atomica - Hiroshima já
tinha  o número de habitantes reduzido para aproximadamente 255.000 pessoas.
As Forças Armadas dos EUA, escolheram o dia 06 de agosto para efetuar o ataque sobre Hiroshima devido as excelentes condições do tempo. Uma hora antes do bombardeio, a rede japonesa  deu  aviso prévio de  aproximação de um avião americano em direção ao Sul do Japão.
Por volta das 8:00, o operador de radar em Hiroshima concluiu que o número de aviões que se aproximava era muito pequeno, apenas 03 aeronaves e com isso.,  o alerta de ataque aéreo foi levantado. Para poupar combustível, os japoneses tinham decidido não interceptar formações aéreas pequenas, as quais presumiam ser, na sua maioria, aviões meteorológicos. Os três aviões em aproximação eram o Enola Gay, The Great Artist e o Necessary Evil . O primeiro avião transportava a bomba, o segundo tinha como missão gravar e vigiar toda a missão, e o terceiro  encarregado de fotografar e filmar a explosão.

Os japoneses, embora não esperassem um ataque aéreo daqueles 03 aviôes, mesmo assim emitiu  aviso  á população que se abrigassem em abrigos antiaéreos, 
 Às 8:15, o Enola Gay soltou a bomba atomica sobre o centro de Hiroshima. Ela explodiu a cerca de 600 m do solo, matando um número cerca de 70.000 a 80.000 pessoas instantaneamente. Pelo menos 11 prisioneiros de guerra dos EUA morreram também.
Os sobreviventes apavorados com a tal explosão, não sabiam o que fazer, apenas queriam fugir o mais rápido possível daquele lugar, então pensando que estariam seguros, muitos vão para Nagasaki, onde ocorreria uma nova explosão no dia 9 de agosto.
Um livro fantástico. Onde retrata todo o drama vivido pelo povo japonês.
Recomendo a todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário