Translate

terça-feira, 9 de setembro de 2014

10 DE SETEMBRO. PARABÉNS! HOJE É SEU ANIVERSÁRIO.




 Recordação de avó é muita suspeita, sempre tem uma maneira de torcer um pouco o acontecido e deixar o "causo" mais interessante. No caso do meu neto, que carinhosamente o chamamos de Luisinho, também te alguma historia acrescida de fantasia, mas a vida deste menino, hoje um homem, que completa 19 anos, sempre foi cercada de muita emoção e até um toque de aventura e ainda torce para o São Paulo.
Vamos do inicio. Uns 02 dias após o seu nascimento, foi constatado um defeito no coração e foi aquele corre  corre, preocupação, transferência de hospitais e finalmente voltou pra casa, mas não totalmente curado. Por desconhecimento e por excesso de amor, todos os cuidados eram tomados, até um simples espirro era motivo de preocupação dos seus pais. Me recordo o dia que ele chegou em casa, logo depois que saiu do hospital com o cabelo todo destruído por causa dos soros e eu fui incumbido ou faltou coragem aos outros, a tarefa de raspar a cabeça do meu neto com Gilette. Parece que ele gostou tanto que usar este corte até hoje.
O tempo passou e quando já tinha 03 ou 04 anos, desta data não me recordo, ele foi submetido a uma cirurgia para extrair uma hérnia, que dificultava muito seus movimentos e a partir dai tornou-se uma criança normal, ativa e já dava sinais de uma liderança que esta se confirmando agora, quando está saindo da fase da juventude e entrando na fase adulta.
Na escola sempre teve um desempenho normal, nada extraordinário, dava pro gasto se  o  deixasse a vontade e assim foi até o termino do segundo grau, quando o Esquadrão Pai & Cia entrou em campo e determinou novas regras: a partir daquele dia, para conseguir alguma coisa teria que pagar, e o pagamento era inusitado: teria que ler todos os dias.
O tiro então saiu pela culatra ou o destino interviu, pois dai surgiu um fenômeno, que encantou desde os 14 anos e continua mais que nunca encantando todos que o venham conhecer: tornou-se um dos leitores mais rápido do mundo e isto vem sendo provado ao longo destes anos por inúmeras reportagens e novas e mais surpreendentes ainda virão, com certeza. Fica aqui um elogio nada coruja ao Luis e sua incrível capacidade de leitura que já ultrapassou a marca de 5000 livros e ainda continua lendo com a mesma motivação.

Nesta data, completando 19 anos, também vai marcar o inicio de uma nova etapa em sua vida. Estudante de Direito, representante da sua turma, leitor voraz de jornais e livros de Direito, vai ter seu primeiro contato com o mundo real. No dia seguinte ao seu aniversário, vai iniciar o seu primeiro estágio na área que escolheu como profissão e com certeza vai obter todo o sucesso do mundo, como tem conseguido até hoje em todos os desafios que se propôs realizar.
Meu querido neto, te desejo do fundo do meu coração toda a sorte do mundo e que você realize todos seus sonhos e anseios. Tem uma frase que gosto e que já te disse algumas vezes , mas nunca é demais repetir:
"Se vale a pena ser feito, faça bem feito"

Um grande abraço e feliz aniversários.
Seus avos que te amam muito.
Luis e Zezé



sexta-feira, 8 de agosto de 2014

UM TALENTO RARO, TALVEZ O LEITOR MAIS RAPIDO DO MUNDO

http://gshow.globo.com/programas/mais-voce/v2011/Portal/maisvoce/img/sep.gifHoje que esta escrevendo é o Luis Antonio (avó). Vou publicar abaixo um texto que estou enviando para editores de livros do Brasil, jornais, programas de televisão, com o objetivo de tona-lo mais conhecido e consequentemente mais aproveitado. Espero que gostem e compartilhem com seus amigos.
UM TALENTO RARO, TALVEZ O LEITOR MAIS RÁPIDO DO MUNDO

Imagine um jovem de 18 anos que já leu mais de 5000 livros e consegue ler um livro médio de 450 paginas em 30 minutos. Parece improvável isto acontecer, mas é real. Esta introdução é para falar de um talento que temos no Brasil e que precisa ser mais divulgado e aproveitado. Trata-se de um jovem da cidade de São José do Rio Preto, hoje com 18 anos, já estudante universitário em Direito, que já fez a façanha de ler até agora mais de 5.000 livros dos mais diversos autores e estilos.
Este jovem, Luis Antonio Gonçalves Netto, desenvolveu uma técnica de leitura, talvez única no mundo, que o permite ler a pagina de um livro em média de 04 segundos, fazendo com esta leitura ultra rápida o permita ler cerca de 900 paginas de um livro por hora.
O numero impressiona e causa duvida. Será? Perguntam incrédulos todos que não o conhecem, mas o fato é que ele realmente tem este talento. Ele chama esta técnica de memória fotográfica e realmente impressiona. Em sua casa ele tem uma biblioteca com mais de 1500 livros, é cliente assíduo das livrarias da cidade de Rio Preto e como não podia ficar de fora, também utiliza a informática para se atualizar e baixar inúmeros livros disponibilizados gratuitamente na internet, onde faz a leitura através de um tablet.
Enquanto a média de leitura no Brasil não ultrapassa a dois livros por ano, é raro o dia em que o Luis não leia pelo menos 2 livros
Como comprovar estes feitos. Bem, um dia escrevemos ao Jornal Folha de São Paulo, que enviou um repórter à sua casa e após um teste de leitura, o jornal fez uma grande matéria com ele, e posteriormente a televisão aproveitou o momento e o chamou através do Programa Ana Maria Braga para visitar a Bienal do Livro em São Paulo e lá ele foi posto a prova com autores de livros, inclusive com o Repórter Rodrigo Álvares, que havia acabado de lançar o livro "Haiti, depois do Inferno", que o Luis leu em a 16 minutos e discutiu o livro com o autor posteriormente, que ficou muito impressionado.
Depois vieram outras reportagens em outros órgãos de imprensa, inclusive na Revista Galileu, notadamente uma autoridade neste tipo de publicação. Convém destacar que tudo que relatei aqui teve inicio com 14 anos.
Hoje temos nas mãos um talento, um prodígio, uma jóia a ser lapidada. Falta descobrir que poderá realmente ajudá-lo. Ele poderá ser um grande intelectual no futuro e este é o desafio.


Veja os links das reportagens que foram feitas com ele até o momento.
Adolescente lê 300 páginas em uma hora
RICARDO WESTIN
ENVIADO ESPECIAL A SÃO JOSÉ DO RIO PRETO (SP)
Luís António Gonçalves Netto – Campeão da Leitura
1/09/2012 17h21 - Atualizado em 01/09/2012 17h40
Estudante de Rio Preto, SP, têm técnica para ler 900 páginas por hora
Estudante aprendeu leitura dinâmica e criou técnicas para mais rapidez.
Veja dicas de como melhorar a performance na leitura e praticar mais.

10/08/2010
Adolescente louco por livros lê 300 páginas em 1 hora
Folha de S.Paulo
Luis, o jovem que lê 900 páginas por hora
Por Nathália Bottino / 01 de July de 2014 / Marcado como Destaque Entrevistas e e-books, estudante, leitura dinâmica, ler, livros

Mais Você conhece estudante que lê até seis livros por dia
Jornal do SBT - 13/5/2011
Jovem lê 900 páginas por hora e pode entrar para o Guinness

segunda-feira, 28 de julho de 2014

PAI Rico PAI Pobre - Audio Book













Pai Rico Pai Pobre

A partir desta publicação vou modificar um pouco a linha editorial do blog e publicarei sempre que possivel, livros de sucesso em Audiobook. É uma forma muito legal de ficar ligado com o que tem de melhor na literatura e na eventualidade de falta de tempo, pode-se ouvir o livro em qualquer meio de locução, inclusive quando estiver dirigindo.  É só salvar em um pen drive e curtir.
O livro que estou postando o link é um grande sucesso editorial PAI RICO, PAI POBRE, de Robert Kiyosaki e Sharon Lech .
Espero que gostem.











































Material disponivel no youtube



quinta-feira, 24 de julho de 2014

A MORTE DOS "IMORTAIS"








Fonte de inspiração dos imortais

O mês de julho de 2014 ficará marcado para sempre, principalmente para os amantes da literatura. O Brasil perdeu 02 imortais da Academia Brasileira de Letras, João Ubaldo Osório Pimentel Ribeiro, baiano de Itaparica e um dos mais renomados escritores brasileiro e Ariano Vilar Suassuna, pernambucano, grande romancista e um dos dramaturgos mais prestigiados do Brasil. Em comum, ambos eram extremamente talentosos na arte de se comunicar através das letras e ambos publicaram obras fantasticas e reconhecidas.



Para quem não teve oportunidade de conhecer o trabalho destes dois escritores extraordinarios, vou publicar abaixo a biografia da Academia Brasileira de Letras, a quem pertence os creditos.

JOÃO UBALDO RIBEIRO





JOÃO UBALDO RIBEIRO


Biografia

Sétimo ocupante da Cadeira nº 34, eleito em 7 de outubro de 1993, na sucessão de Carlos Castello Branco e recebido em 8 de junho de 1994 pelo Acadêmico Eduardo Portella. Faleceu no dia 18 de julho de 2014, no Rio de Janeiro, aos 73 anos.
João Ubaldo (Osório Pimentel) Ribeiro nasceu em Itaparica (BA), em 23 de janeiro de 1941. Dos primeiros meses de idade até cerca de onze anos, viveu com sua família em Sergipe, onde o pai era professor e político. Passou um ano em Lisboa e um ano no Rio de Janeiro para, em seguida, fixar-se em Itaparica, onde viveu aproximadamente sete anos.
Entre 1990 e 1991, morou em Berlim, a convite do Instituto Alemão de Intercâmbio (DAAD – Deutscher Akademischer Austauschdienst). Na volta, passou a morar no Rio de Janeiro. É Casado com Berenice de Carvalho Batella Ribeiro, tendo o casal dois filhos. Do casamento anterior com Mônica Maria Roters, João Ubaldo teve duas filhas. 
Bacharel em Direito (1959-62) pela Universidade Federal da Bahia, jamais chegou a advogar. Pós-graduado em Administração Pública pela mesma Universidade e Mestre (Master of Science) em Administração Pública e Ciência Política pela Universidade da Califórnia do Sul.
Entre outras atividades, foi professor da Escola de Administração e da Faculdade de Filosofia da Universidade Federal da Bahia e professor da Escola de Administração da Universidade Católica de Salvador. Como jornalista, foi repórter, redator, chefe de reportagem e colunista do Jornal da Bahia; colunista, editorialista e editor-chefe da Tribuna da Bahia. É colunista do jornalFrankfurter Rundschau, na Alemanha; colaborador de diversos jornais e revistas no país e no exterior, entre os quais, além dos citados, Diet Zeit (Alemanha), The Times Literary Supplement (Inglaterra), O Jornal (Portugal), Jornal de Letras (Portugal), Folha de S. Paulo, O Globo, O Estado de S. Paulo, A Tarde e muitos outros.
A formação literária de João Ubaldo Ribeiro iniciou ainda nos primeiros anos de estudante. Foi um dos jovens escritores brasileiros que participaram do International Writing Program da Universidade de Iowa. Trabalhando na imprensa, pôde também escrever seus livros de ficção e construir uma carreira que o consagrou como romancista, cronista, jornalista e tradutor.
Seus primeiros trabalhos literários foram publicados em diversas coletâneas (Reunião, Panorama do Conto Baiano). Aos 21 anos de idade, escreveu seu primeiro livro, Setembro não Tem Sentido, que ele desejava batizar como A Semana da Pátria, contra a opinião do editor. O segundo foiSargento Getúlio, de 1971. Em 1974, publicou Vencecavalo e o Outro Povo, que por sua vontade se chamaria A Guerra dos Paranaguás.
Consagrado como um marco do moderno romance brasileiro, Sargento Getúlio filiou o seu autor, segundo a crítica, a uma vertente literária que sintetiza o melhor de Graciliano Ramos e o melhor de Guimarães Rosa. A história é temperada com a cultura e os costumes do Nordeste brasileiro e, em particular, dos sergipanos. Esse regionalismo extremamente rico e fiel dificultou a versão do romance para o inglês, obrigando o próprio autor a fazer esse trabalho. A seu respeito pronunciaram-se, nos Estados Unidos e na França, as colunas literárias de todos os grandes jornais e revistas.
Em 1999, foi um dos escritores escolhidos em todo o mundo para dar depoimento, ao jornal francês Libération, sobre o Terceiro Milênio. E Viva o Povo Brasileiro foi o tema do exame de Agrégation, concurso para detentores de diploma de graduação na universidade francesa. Este romance e Sargento Getúlio constaram da maior parte das listas dos cem melhores romances brasileiros do século.
Prêmios e distinções
– Prêmio Golfinho de Ouro, do Estado do Rio de Janeiro, conferido, em 1971, pelo romanceSargento Getúlio;
– Dois prêmios Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro, em 1972 e 1984, respectivamente para o Melhor Autor e Melhor Romance do Ano, pelo romances Sargento Getúlio e Viva o povobrasileiro;
_ Prêmio Altamente Recomendável - Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil,1983, paraVida e Paixão de Pandonar, o Cruel ;
– Prêmio Anna Seghers, em 1996 (Mogúncia, Alemanha);
– Prêmio Die Blaue Brillenschlange (Zurique, Suíça);
– Detém a cátedra de Poetik Dozentur na Universidade de Tubigem, Alemanha (1996).
_ Prêmio Lifetime Achievement Award, em 2006;
_ Prêmio Camões, em 2008.










ARIANO SUASSUNA

ARIANO SUASSUNA


Biografia

Sexto ocupante da Cadeira nº 32, eleito em 3 de agosto de 1989, na sucessão de Genolino Amado e recebido em 9 de agosto de 1990 pelo Acadêmico Marcos Vinicios Vilaça. Faleceu no dia 23 de julho de 2014, no Recife, aos 87 anos.
Ariano Vilar Suassuna nasceu em Nossa Senhora das Neves, hoje João Pessoa (PB), em 16 de junho de 1927, filho de Cássia Villar e João Suassuna. No ano seguinte, seu pai deixa o governo da Paraíba e a família passa a morar no sertão, na Fazenda Acauhan.
Com a Revolução de 30, seu pai foi assassinado por motivos políticos no Rio de Janeiro e a família mudou-se para Taperoá, onde morou de 1933 a 1937. Nessa cidade, Ariano fez seus primeiros estudos e assistiu pela primeira vez a uma peça de mamulengos e a um desafio de viola, cujo caráter de “improvisação” seria uma das marcas registradas também da sua produção teatral.
A partir de 1942 passou a viver no Recife, onde terminou, em 1945, os estudos secundários no Ginásio Pernambucano e no Colégio Osvaldo Cruz. No ano seguinte iniciou a Faculdade de Direito, onde conheceu Hermilo Borba Filho. E, junto com ele, fundou o Teatro do Estudante de Pernambuco. Em 1947, escreveu sua primeira peça, Uma Mulher Vestida de Sol. Em 1948, sua peça Cantam as Harpas de Sião (ou O Desertor de Princesa) foi montada pelo Teatro do Estudante de Pernambuco. Os Homens de Barro foi montada no ano seguinte.
Em 1950, formou-se na Faculdade de Direito e recebeu o Prêmio Martins Pena pelo Auto de João da Cruz. Para curar-se de doença pulmonar, viu-se obrigado a mudar-se de novo para Taperoá. Lá escreveu e montou a peça Torturas de um Coração em 1951. Em 1952, volta a residir em Recife. Deste ano a 1956, dedicou-se à advocacia, sem abandonar, porém, a atividade teatral. São desta época O Castigo da Soberba (1953), O Rico Avarento (1954) e o Auto da Compadecida (1955), peça que o projetou em todo o país e que seria considerada, em 1962, por Sábato Magaldi “o texto mais popular do moderno teatro brasileiro”.
Em 1956, abandonou a advocacia para tornar-se professor de Estética na Universidade Federal de Pernambuco. No ano seguinte foi encenada a sua peça O Casamento Suspeitoso, em São Paulo, pela Cia. Sérgio Cardoso, e O Santo e a Porca; em 1958, foi encenada a sua peça O Homem da Vaca e o Poder da Fortuna; em 1959, A Pena e a Lei, premiada dez anos depois no Festival Latino-Americano de Teatro.
Em 1959, em companhia de Hermilo Borba Filho, fundou o Teatro Popular do Nordeste, que montou em seguida a Farsa da Boa Preguiça (1960) e A Caseira e a Catarina (1962). No início dos anos 60, interrompeu sua bem-sucedida carreira de dramaturgo para dedicar-se às aulas de Estética na UFPe. Ali, em 1976, defende a tese de livre-docência A Onça Castanha e a Ilha Brasil: Uma Reflexão sobre a Cultura Brasileira. Aposenta-se como professor em 1994.
Membro fundador do Conselho Federal de Cultura (1967); nomeado, pelo Reitor Murilo Guimarães, diretor do Departamento de Extensão Cultural da UFPe (1969). Ligado diretamente à cultura, iniciou em 1970, em Recife, o “Movimento Armorial”, interessado no desenvolvimento e no conhecimento das formas de expressão populares tradicionais. Convocou nomes expressivos da música para procurarem uma música erudita nordestina que viesse juntar-se ao movimento, lançado em Recife, em 18 de outubro de 1970, com o concerto “Três Séculos de Música Nordestina – do Barroco ao Armorial” e com uma exposição de gravura, pintura e escultura. Secretário de Cultura do Estado de Pernambuco, no Governo Miguel Arraes (1994-1998).
Entre 1958-79, dedicou-se também à prosa de ficção, publicando o Romance d’A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta (1971) e História d’O Rei Degolado nas Caatingas do Sertão / Ao Sol da Onça Caetana (1976), classificados por ele de “romance armorial-popular brasileiro”.
Ariano Suassuna construiu em São José do Belmonte (PE), onde ocorre a cavalgada inspirada noRomance d’A Pedra do Reino, um santuário ao ar livre, constituído de 16 esculturas de pedra, com 3,50 m de altura cada, dispostas em círculo, representando o sagrado e o profano. As três primeiras são imagens de Jesus Cristo, Nossa Senhora e São José, o padroeiro do município.
Membro da Academia Paraibana de Letras e Doutor Honoris Causa da Faculdade Federal do Rio Grande do Norte (2000).
Em 2004, com o apoio da ABL, a Trinca Filmes produziu um documentário intitulado O Sertão: Mundo de Ariano Suassuna, dirigido por Douglas Machado e que foi exibido na Sala José de Alencar.
A eles, minha singela homenagem e que continuem "Imortais" em nossos pensamentos.

quinta-feira, 19 de junho de 2014

FEIOS




Com a COPA DO MUNDO sendo realizada no Brasil e a televisão toda voltada para este evento, sobra pouca coisa a fazer quando estiver em casa. Uma das melhores sugestões é dedicar horas do tempo a leitura. Considerando que a maioria dos estudantes estão em férias no momento como meu caso, vou sugerir a leitura de um livro de fácil leitura, mas muito gostoso, com um historia divertida, mas se acontecer um dia, se transforma num filme de terror.
Você se acha feio? Tá gordo, usa óculos, tem dificuldades de locomoção, não importa. Se você é feio, na cidade da Nova Perfeição, através de uma cirurgia, você vai ficar esplendoroso(a). Bem, pelos menos esta é a ideia central do livro "FEIOS", de Scott Westerfeld, autor americano nascido no Texas. Ele já publicou além da serie Feios, "Tão Ontem" e os "Primeiros Dias", livros voltados para o publico jovem.
"FEIOS"  conta a historia de uma civilização no futuro, quando todos jovens quando completam 16 anos, passam por um cirurgia que o transformam em pessoas perfeitas e ai entra nossa heroína, Tally.
Ela esta prestes a completar 16 anos e ela mal pode esperar o momento de passar uma pessoa "feia ", para um ser incrivelmente belo e terá com isso passe livre para uma vida de glamour, festa e diversão, onde seu único trabalho é aproveitar muito.
Dias antes de atingir a idade limite para fazer a transformação, Tally conhece Shay, uma "feia" que é totalmente contraria ao sistema que obriga todos os feios fazerem cirurgia.Shay  mostra a Tally a vida dos Enferrujados, que são os remanescentes da civilização atual e contrários a politica da Nova Perfeição.

A partir dai, começa um desenrolar de encontros, desencontros, com muitas aventuras e numa narrativa muita bacana, o autor nos leva a imaginar e a participar de um mundo no futuro, com alta tecnologia, homens com poderes extraordinários em contraste com a vida das pessoas normais, moradoras da Vila Feia ou Cidade da Fumaça.
Vale a pena conhecer.

sexta-feira, 25 de abril de 2014

100 ANOS DE SOLIDÃO - UMA HOMENAGEM A GABRIEL GARCIA MARQUEZ





A noticia da morte de Gabriel Garcia Marques abalou o mundo literário. Afinal partiu um dos maiores contadores de historia de todos os tempos. Gabo, como era conhecido, fez fama e fortuna misturando superstição, fantasia e realidade.  Nascido em Aracataca, uma pequena cidade da Colômbia, cresceu ouvindo historias dos avos. Dai para a profissão de jornalista foi um pulo.
Gabriel Garcia Marquez ´-  Gabo

Seu grande livro, na sua opinião foi "O Amor nos Tempos do Cólera", mas o que o tornou conhecido no mundo todo, inclusive levando-o a ganhar o Premio Nobel de Literatura em 1982 foi "100 anos de Solidão"

Traduzido mais de 30 idiomas, o livro deu fama internacional a García Márquez. Vendeu milhões de exemplares mundo afora, mas só foi publicado em 1967 por uma pequena editora argentina.
O livro "100 Anos de Solidão" se passa na cidade imaginária de Macondo, e conta a história de seus fundadores liderados pelos  Buendia-Iguarán. 

José Arcádio Buendía é o patriarca da família e Úrsula Iguarán a matriarca. Trata-se de um casal de primos, que se casaram assustados pelo mito de que o casamento entre familiares poderia gerar filhos com rabos de porco. Este temor cria situações divertidas no início do relacionamento, mas também situações trágicas, e será, em última análise, o causador da mudança de cidade do casal para fundar Macondo, cidade imaginada pelo seu fundador José Arcádio Buendía. Este casamento gerou  três filhos: José Arcádio, Aureliano Buendía e Renata Buendía. Posteriormente há a chegada de Rebeca. 

Com o passar do tempo Macondo passa a ser o local de moradia de um grupo de ciganos, que trazem diversas descobertas ao povo. Entre os ciganos está Malquíades, um sábio que morre e diversas vezes ressuscita no decorrer da história, tornando-o um personagem chave para o enredo de "Cem anos de Solidão"

A trama do livro "Cem anos de Solidão" acontece em torno da Família Buendía por diversas gerações mostrando com a genialidade do autor encontros e desencontros ocorridos nas vidas de seus membros por diversos anos, até que o último Buendía vivo consegue decifrar as escrituras que prediziam o futuro da família. Existe o relato bastante pitoresco que incluem um comboio carregado de cadáveres, a perda da memoria da população inteira, de mulheres que se trancam por décadas numa casa escura. Homens que arrastam atrás de si um cortejo de borboletas amarelas e nascidos com rabo de porco.



Não chores porque terminou e sim sorria porque aconteceui
 É fascinante o relato. E aquele tipo de livro que quando começa sua leitura não se pensa em parar. Vale a pena conhecer.

quinta-feira, 27 de março de 2014

ATÉ O ÚLTIMO HOMEM






A linha editorial do meu blog sempre foi a leitura. Nunca quis e nem pretendo publicar neste espaço resumo de livros, pois isto seria uma tarefa difícil e com grandes possibilidades de erros, mas sempre tive como foco principal convidar amigos a lerem obras que gostei e posso recomendar.
Não é muito, mas é uma oportunidade do leitor ter uma ideia do conteúdo do livro a ser lido e parece que deu certo, pois já tive no tempo de vida do blog mais de 200.000 acessos.
Em quase 200 publicações que fiz, comentei sobre livros bibliográficos, romances, auto ajuda e alguns livros técnicos e intercalei nestas publicações alguma coisa minha.
Hoje vou convida-los a conhecerem um romance para os apaixonados pelas historias da primeira guerra mundial. Trata-se de "ATÉ O ÚLTIMO HOMEM" do escritor americano JEFF SHAARA, ganhador do Premio Pulitzer.
O livro tem um texto magnifico e em 921 paginas, o autor faz um exame abrangente e profundo da Primeira Guerra Mundial, com lances e passagens verdadeiras, desde o que se diz respeito aos sentimentos dos soldados da linha de frente até os desafios do Alto Comando.
Primavera de  1916, foi quando a Frente Ocidental na Europa, encontram-se em grande impasse, pois estão unidos a França e a Grã Bretanha e do outro lado a Alemanha, que os ameaça. Nesta época praticava-se a guerra de trincheiras, mas a tecnologia da ocasião criou uma nova arma mortal, o avião e com ele surge um novo tipo de herói -  os ases da aviação.
No terceiro ano do conflito, os Estados Unidos, neutros até então, são forçados a entrar na guerra, mas estão despreparados e mal equipados para entrar numa guerra que já tinha a conotação de um conflito mundial.

O comandante do exercito americano, o general John "Black Jack"Pershing leva à Europa os primeiros soldados da Força Expedicionária da América. Encorajado pelo espirito de força e ousadia dos soldados americanos, o mundo fica na expectativa de ver os rumos da guerra serem mudados.
"Até o Ultimo Homem" reproduz com vivacidade comovente e precisão os cenários desse conflito por caminhos que o autor consegue traçar, transformando esta obra imperdível para quem gosta de uma boa leitura.
Vale a pena.


sábado, 22 de março de 2014

O CASO DOS EXPLORADORES DE CAVERNAS

 
Quando estava cursando o primeiro ano de direito, os professores acharam por bem realizar um júri simulado, que iria fazer o julgamento dos personagens do livro "O caso dos Exploradores de Cavernas", de autoria do jurista Lon L.Fuller, professor de "Jurisprudência" da Harvard Law School, e foi traduzido por Ivo de Paula. LLM., mestre em Direito Internacional Bancário e Comércio Exterior pela American University em Washington, D.C., nos Estados Unidos.
O livro trata da historia de quatro acusados de uma sociedade, que tinha o objetivo de exploração de cavernas. O fato se desenrola, quando em companhia de um outro membro da sociedade, Roger Whetmore, entram em uma caverna, que na sequencia sofre um grande desmoronamento, bloqueando a saída e os prendendo dentro da mesma.
Sem saída e com a demora para retornar, os familiares solicitaram ajuda às autoridades, que imediatamente enviaram para o local equipes de socorro. Mas o desmoronamento havia sido grande e para tal tarefa haveria necessidades de maquinas e equipamentos maiores, o que dificultou e atrasou o socorro as vitimas.
Os exploradores tinham consigo um radio, e com ele foram capazes de se comunicar com a equipe de socorro e informaram que tinham escassa provisão de alimentos e que no local onde estavam não havia animais ou vegetais que lhes permitissem sobreviver por muito tempo.
 


Passados 20 dias do acidente, os encavernados foram informados que ainda seriam necessários no mínimo 10 dias para que os serviços de resgate fossem concluídos e finalmente liberta-los. Mas eles informaram que estavam sem comida e o estado psicológico estavam muito afetado e as condições de sobrevivência estava comprometida, caso não se alimentassem.
Um dos sobreviventes, Roger Whetmore perguntou aos médicos, via radio, se eles se alimentassem da carne de um dos confinados, eles sobreviveriam, A resposta foi positiva. Entre eles ficou decidido que fariam um sorteio entre os cinco e o que perdesse seria sacrificado para alimentar os outros.
Passada a ideia para a equipe de socorro, houve uma consternação geral. Ninguém queria autorizar tal procedimento. Foram chamadas diversas autoridades locais, inclusive um padre e um juiz e nenhum deles autorizaram a execução da ideia proposta pelos confinados. Depois disso a comunicação cessou devido ao descarrego das pilhas do radio transmissor e somente conseguiram fazer contato novamente quando já havia sido transcorrido 32 dias após o desabamento.
 
Quando a equipe de resgate chegou ao local, foi encontrado somente quatro sobreviventes. Roger Whetmore, que havia feito a sugestão de sacrificar um para alimentar os outros, foi o que perdeu o sorteio e morto.
Assim que foram salvos, os sobreviventes foram denunciados pela pratica de homicídio, contra Roger Whetmore, sendo todos condenados à forca, tendo por base uma lei pertinente em vigor que determinava "Quem quer que intencionalmente prive a outrem da vida será punido com a morte"
A única maneira de que a decisão jurídica não fosse cumprida, seria a clemência do Chefe do Poder Executivo.
Bem a historia segue, mas o veredicto deve ser dado por você caro leitor. No processo que fizemos no júri simulado, minha equipe, que representou a defesa foi derrotada e os réus condenados.
Você concorda?
 
 
 
 

 


 imagem obtidas pelo Google.

domingo, 9 de fevereiro de 2014

JOGOS VORAZES




Depois de algum tempo sem publicar nenhuma resenha de livros, embora continue lendo normalmente, resolvi voltar as publicações, reiniciando com um grande sucesso editorial, Jogos Vorazes, da escritora Suzane Collins, que nasceu nos Estados Unidos. Começou sua carreira escrevendo para programas infantis. Esta produção trata-se de uma trilogia, com os livros Jogos Vorazes, Em Chamas e Esperança, onde a autora destaca as aventuras da arqueira Katniss num período futuro, quando após o fim da America do Norte, surge uma nova nação chamada Panem. Uma nova civilização administrada com "com mão de ferro" surgiu após o que foi o fim do mundo atual e esta nova civilização contava com toda  tecnologia atual ou mais moderna ainda. 
O romance "Jogos Vorazes" é muito intenso e embora a narrativa seja na primeira pessoa e isto quebra um pouco o clima de tensão, pois sempre, não importa a situação que a heroína se encontrar, ela vai sair da situação. E ela sofre e apanha muito durante a narrativa do livro. Apesar disso, é emocionante a leitura. É aquele tipo de leitura que você começa e não quer parar.
A historia do livro mostra um governo que para alegrar a população, promove anualmente um jogo mortal entre 24 jovens escolhidos entre os 12 distritos existente na trama.
Nossa heroína entra neste jogo no lugar de sua irmã Prim, que no momento tinha somente 12 anos. A regra do jogo era simples: vencia que terminasse vivo. Os competidores eram colocados numa arena monitorada por câmeras, que transmitia ao vivo para todo o pais como se fosse um Big Brother atual. Katniss vence o torneio e contrariando as regras do torneio, ela sobrevive junto com seu amigo Peeta, que para todos os expectadores, era seu namorado.
No desenrolar da ação, muitos personagens aparecem e a maioria é morto por Katniss ou por algum truque da produção dos Jogos Vorazes. Alguns personagens que serão inesquecíveis, como Katniss, Gale, Peeta.
Katniss, Peeta e Gale

O livro é muito tenso. As mortes são mostradas em detalhes, os sentimentos da Katniss pela sua família, mas é um romance de muita ação, como muitas lutas físicas, mas também lutas internas com seu consciente e mostrar ainda ser uma pessoa adorável, o que permite a ela convencer alguns patrocinadores e vencer os jogos. Também não é somente morte e brigas, tem também muito romance, como o amor entre Katniss e Peeta e o amor de Gale pela principal personagem.
Vale a pena ler. Hoje convido-os a ler o primeiro volume da serie, que é Jogos Vorazes, mas breve publicarei sobre os outros dois livros da serie. Já foi feito o filme " Jogos Vorazes" e recentemente o segundo volume foi reproduzido no cinema, que também vale a pena assistir.
Não deixem de ler.