A CICATRIZ DE DAVID



O Romance “A Cicatriz de David” escrito pela americana Susan Abulhawa, abrange com maestria em sua obra a paisagem de Israel. O fato dela ela ser de origem palestina,  filha de refugiados e ter vivenciado todo o drama desta nação e também por ter morado em diversos países do Oriente Médio permite que ela consiga dar uma narrativa que mostra a cultura, o nacionalismo, o fundamentalismo religioso daquela região e também a secreção racial que lá existe.

"A Cicatriz de David" é um romance sobre um menino palestino, chamado Ismael, que vive num campo de refugiados de Jenin e, no ano 1948, é raptado por um oficial israelense, cuja mulher não pode ter filhos. A partir deste momento ele é criado como uma criança judia passa a usar o nome de David e é educado segundo os preceitos da religião judaica.
Vinte anos depois, David vai lutar numa guerra fratricida contra o irmão mais velho, que o reconhece por causa de uma antiga cicatriz no rosto.
A história se inicia com Dália, uma jovem beduína, que num ato de coragem enfrenta e desafia as convicções da aldeia Ein Hod. Ela sempre foi uma guerreira muito preocupada em ajudar seu País. Notou, ao ficar mais velha, que seu povoado tinha grande importância no processo sionista de expansão de Israel, que foram criados em 1948.
A Palestina em Verde e Israel em Branco
Porém, somente sua coragem não foi suficiente para evitar a queda do seu povoado e em meio da expulsão dos palestinos de suas terras pelos invasores, seu filho mais novo, Ismael, que outrora havia sofrido um corte no rosto, é raptado pelo oficial israelense Moshe, que o entrega para sua esposa, que suplicava por um filho. A partir desta “adoção” Ismael passa a ser chamado de David.
Este drama foi contado pela irmã de Ismael, Amal, que anos depois consegue mudar-se para os Estados Unidos. Sua mãe, Dália, depois que teve o filho raptado, era agora uma mulher fortemente abalada pelos vários anos de guerra e opressão, tendo como maior desejo se acomodar nos aposentos de seus ancestrais palestinos, em busca de paz e aconchego.
Voltado ao personagem David, por ter sido criado como um israelense, sem saber nada de suas origens, cresceu desprezando os árabes, os palestinos enquanto seus familiares eram expulsos de suas terras para um campo de refugiados.
Moshe, o sequestrador, depois de algum tempo começa a sentir remorsos pelo ato que cometeu ao arrancar dos braços de uma mãe seu próprio filho, escutava, em pensamentos, diversas vezes os gritos sofridos e desesperados de Dália, no entanto seu sofrimento iria aumentar ao ver que o lugar onde foi reservado para o judeus poderem se sentir seguro estava mergulhado em sangue.
A luta contra os soldados de Israel
Dália também havia de sofrer mais ainda ao receber que seu marido teria sido morto durante a guerra e que se filho mais velho, Yousef, era um prisioneiro de guerra, e como tal, era constantemente espancando pelos soldados israelenses, entre eles, seu próprio irmão David, um desconhecido de sua própria origem. David foi reconhecido pelo irmão pela cicatriz que ostentava no rosto.
A formação do Estado de Israel foi precedida de muitas guerras com os árabes palestinos, que tiveram seus terrenos roubados por estradas, assentamentos, muros, entre outros. A Palestina, luta até hoje pelo seu direito de existir.
Simplesmente fantástico.
Recomendo a todos.

Comentários

Postagens mais visitadas