O HOMEM QUE OUVE CAVALOS


Este é um  livro emocionante.  Ele  traz o relato pessoal das descobertas de Monty Roberts sobre cavalos, a realidade que se torna tão extraordinária diante de nossos olhos, que quase poderia ser um relato ficcional. Porém, Monty Roberts utilizando toda sua habilidade, seduz o leitor para continue a se emocionar com essa bela história. A jornada deste criador e domador de cavalos é sem duvida um exemplo de vida.  Nascido na Califórnia e filho de pais envolvidos na criação e doma de cavalos, Monty estava sobre um desses magníficos animais antes mesmo de completar um ano.

Começava desde já seu amor incessante por aqueles animais,  amor que o fez discutir inúmeras vezes  com seu pai, porque ele domava os animais na base da chibata, tendo até um nome para esse método, “machuca-los para não ser machucado”. Monty Roberts passava boa parte de seus dias junto com os cavalos, e tal a convivência fez surgir em Monty a compreensão dos sentimentos dos cavalos; o que eles desejavam; como eles estavam, Ele ouvia os animais. E E para ter mais conhecimento sobre a língua dos cavalos Monty começou a estudar a língua “Equus”. Já conseguindo ouvir os anseios dos cavalos, ele começou a participar de corridas e rodeios sem chicotes e esporas, o que surpreendeu a todos, pois ele não utilizava violência alguma e mesmo assim conseguia ser eficiente na condução das suas montarias.

Monty possuía uma deficiência visual. Ele, por ser daltônico enxergava tudo em branco e preto, mas soube tirar vantagens desta  deficiência, pois conseguia enxergar durante a noite, na escuridão, com mais clareza tudo que estava em sua volta. Esta habilidade permitia estudar  o comportamento dos cavalos durante a noite e pode descobrir, por exemplo, que a égua mais velha maltratava os potros rebeldes para educa-los, que o papel dos garanhões era proteger seus haréns e vigiar os animais predadores. Além de domar esses cavalos participar de corridas, rodeios expondo suas técnicas de doma, Monty participava de shows equestres, chegou a ser duble de cavaleiros no cinema, jóquei de quarto de milha e treinador de famosos campeões renomados de corridas.

Com todas essas atividades e ter passado  tantos anos montando  cavalos, teve problemas na  coluna, sendo obrigado a se submeter a uma cirurgia de espinha dorsal,  que o deixou afastado das suas atividades por vários meses e quando voltou, as pessoas estavam curiosas para conhecer sua técnica de doma de animais selvagens e isso fez com que Monty Roberts percorresse os Estados Unidos e Europa fazendo palestras e apresentação. Ele mostrava ao publico que em menos de 40 minutos conseguia transformar um animal por mais xucro que fosse, em um animal capaz de  obedecer na mais boa vontade todos seus comandos.

É um livro imperdível. De fácil leitura, tem aquele gosto de “vou ler somente mais uma página”.

Imperdível.

Comentários

  1. Luis, eu ainda não li este livro mas vi há algum tempo, a entrevista deste homem e o trabalho dele é pura magia. Hoje na Ana Maria Braga apareceu uma pessoa que aplica a conceito de Monty Roberts aqui no Brasil, extendendo-o para a compreensão humana. De uma olhada no site dela. Gostaria de parabenizá-lo por seus posts cada vez melhores, bem mais elaborados e bem escritos. É uma delicia ler seu blog. bjs

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas