1929 - A Grande Crise


Embora ainda não esteja envolvido diretamente com o assunto Economia, não pude ficar indiferente esta semana às noticias desta área, principalmente pela queda das ações do grupo OGX, do multimilionário brasileiro, Eike Batista. A queda do valor das ações das empresas ligadas à este grupo foram enormes, chegando a 40% em apenas 03 dias, que representam bilhoes de reais. É curioso o processo dinamico que denominamos de "Mercado". De um instante para o outro, fortunas são perdidas ou ganhadas e isto me levou a publicar um rapido resumo de um livro que li no inicio do ano, que julgo apropriado para o momento. Trata-se do livro "1929 - A Grande Crise" do escritor canadense John Kenneth Galbraith. Considerado um intelectual publico em Economia, publicou vários livros que foram sucessos editoriais.
O tema abordado pelo livro enfoca o momento vivivo pelo Estados Unidos da América e também do resto do mundo capitalista. A idéia que prevalecia sobre a sociedade americana era a possibilidade de conseguir "dinheiro fácil" e que o enriquecimento rapido era certo. Era tão certo isso, que quase todos os americanos apostavam todo seu dinheiro na especulação financeira, um hábito que ainda hoje eles mantém, evidentemente com a mudança da economia e com os controles governamentais, num grau muito menor.

Grafico da Bolsa em 24 de outubro de 1929
Em 1929 foi  ápice de uma grande crise economica que teve inicio em 1920. Conhecida como Quebra da Bolsa de Nova York, ela ocorreu num momento que o mundo ainda estava fragilizado, se recuperando do Primeira Guerra Mundial em 1918. Com o fim da Guerra, Os Estados Unidos obtiveram grandes vantagens no mercado mundial e passaram a exportar grandes quantidades de alimentos e fazer emprestimos de grandes volumes de dinheiro para os Paises da Europa, devastados pela guerra. Com isso a economia americana estava aquecida e o mercado em alta.
Como nada é eterno, os paises europeus foram se recuperando economicamente e diminuiram a importação dos produtos industrializados e agricolas dos americanos. Esta redução teve um grande reflexo, pois a enorme produção agricola dos Estados Unidos nesta epoca, principalmente do trigo, não encontrava comprador no exterior e o consumo interno não era suficiente para absorver as colheitas produzidas. Com isso o poder de compra dos americanos diminuiu, o comércio perdeu forças e as industrias, não tendo pra quem vender, reduziram a produção e demitiram funcionários.
Com este cenário, o mercado entrou em queda e com isso a Bolsa de Valores de Nova York, no dia 24 de outubro de 1929 entrou em colapso e quebrou.
Protestos dos trabalhadores em 1929
Bancos, industrias, comércios e empresas rurais foram a falência e milhoes ficaram desempregados e deste momento foram relatados muitas historias de vandalismo, assassinatos, suicidios.
O mundo foi afetado com esta Grande Crise, inclusive o Brasil, que vendia café para os Estados Unidos. Com a redução da venda deste produto, o preço do café caiu muito e só não causou um caos maior nos preços, graças a intervenção do governo brasileiro. Mas ai começa outra historia.

Conheçam este livro, vale a pena.






·     

Comentários

Postagens mais visitadas