Quem é o mentiroso da sua vida?


Tente responder esta pergunta. A principio você deve achar engraçado ou mesmo citar alguma pessoa próxima de você, mas esta pergunta tem um fundo cientifico muito grande. O autor, Robert Feldman, que é membro da American Psychological Association e da Association for Psychological Science, estudou o ato de mentir e enganar, diariamente por 25 anos e deste grande estudo, ele escreveu este livro de titulo bastante desafiador.
Sem duvida o assunto que é abordado  nesse texto, é o mal que rondou, ronda e sempre rondará a sociedade. Se fizer uma pesquisa pessoal, dificilmente acharemos uma pessoa que diga, com sinceridade, eu nunca menti. Não dá para generalizar, mas pode-se afirmar com segurança que a grande maioria já contou pelo menos uma mentira, por mais insignificante que ela seja.


No trabalho, na vida de um casal, entre os membros de uma família, entre amigos, até mesmo no convívio com desconhecidos a mentira, por mais errada que seja que traia a confiança do enganado, ela acontece. Às vezes involuntariamente ou até mesmo planejada, a humanidade não escapa dela.
Muito se ouve falar da mentira branda, que é na cabeça dos leigos, é uma mentira para o bem, usada, às vezes, para evitar alguma desavença, porém, caro leitor, será que existe “mentira do bem”?’. Segundo Robert Feldman esse termo não passa de um estimulo a mentira, pois apesar de naquele momento a felicidade reinar no local, no instante em que for descoberta a verdade, pode não acontecer nada,  mas pode modificar completamente a vida da pessoa, que foi a “vitima” da mentira contada.
 Outro tema abordado pelo autor é a mentira profissional, que as estatísticas apontam que 15% das pessoas mentem nos seu trabalho. Parece surpreendente o numero citado, mas estudos recentes confirmam que existem muitas mentiras profissionais, seja para conseguir um emprego,  salvar o emprego atual ou apenas para manter uma boa imagem. O estudo desenvolvido pelo autor mostra que 1 em cada 5 trabalhadores estariam dispostos a mentir para se manter no seu emprego.
Na verdade, quem conta a mentira pode até ter um objetivo louvável, como manter um bom ambiente entre colegas ou defender a reputação da sua equipe de trabalho.  Mas a mentira tem “perna curta” e, mesmo na melhor das intenções, faltar à verdade acabará por comprometer a sua credibilidade e a sua carreira, prejudicando também o relacionamento com colegas, chefias e clientes. Assim a honestidade é sempre a melhor política, seja qual for a sua área de atividade, grau de responsabilidade e funções. Espero conseguir fazer isso, mas posso te garantir que não é fácil, diria até impossível, fazer parte do seleto grupo de pessoas que somente falam a verdade, a vida toda. E você, o que acha? Escreva dando sua opinião.
Recomendo a todos.

Comentários

Postagens mais visitadas