Translate

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Memórias de um Sargento de Milícias




O livro “Memórias de um Sargento de Milícias” foi um grande romance escrito por Manuel Antônio de Almeida, publicado na sua primeira edição em 1854. O autor relata a historia de Leonardo, mas tudo começa com a viagem que os pais do nosso personagem principal fazem de navio, de Lisboa ao Rio de Janeiro. Durante a viagem, Leonardo Pataca, o pai e Maria Hortaliça, a mãe, se conhecem e no vai e vem da travessia do Oceano Atlântico, se apaixonam e logo após se casam e desta união nasceu Leonardo, que no futuro seria o Sargento de Milícias. Desde pequeno, Leonardo era manhoso e arteiro e vivia sempre criando confusão, o que parecia ser inevitável um conflito com o Major Vidigal, considerado o homem forte da policia local (milícias) e que não suportava malandros.
Leonardo praticamente foi criado pelo seu padrinho, visto ter sua mãe traído o seu pai e quando o mesmo veio descobrir, deu uma surra na mulher, que acabou fugindo com seu amante para Lisboa. Deixando seu filho Leonardo ao acaso, uma vez que o pai, Leonardo Pataca também foi embora,
Leonardo (filho) ficou então aos cuidados de seu padrinho, um barbeiro “bem arranjado”,que passou a estimar muito o menino. Planejou fazê-lo padre, iniciou a escrita e a leitura, bem precariamente, e depois o encaminhou à escola. Por esses tempos a madrinha de Leonardo também apareceu e lhe visitava sempre. O menino não passava um dia sem apanhar na escola com a palmatória do mestre. Quando passou a ir sozinho, faltava às aulas e ia para igreja se juntar a Tomás e fazer bagunça.
Embora tenha tentado ser coroinha, seu gênio irrequieto, não permitia que ele seguisse as regras da Igreja e acabou sendo expulso por tanto aprontar e desta maneira passou toda sua infância. Já na sua juventude, embora ainda levasse uma vida de vadiagem, certa ocasião, ele e seu padrinho passaram a frequentar a casa de D. Maria. Leonardo conhece então a sobrinha de D. Maria, Luisinha, e por ela se apaixona.
Ocorreu que D, Maria tinha outros planos para a filha e deu um jeito que ela se casasse com José Manuel. O padrinho morreu e Leonardo foi finalmente viver com seu pai. Ele não se dava muito bem com a madrasta, uma cigana. Numa briga que teve com a madastra, teve que sair de sua casa fugindo, pois seu pai tomou partido em favor da mulher o ameaçou mata-lo com uma espada.
Assim foi a vida de Leonardo, sempre metido em confusão. Uma ocasião, por causa de uma paixão, Vidinha, que também despertava a paixão em outros dois amigos, foi vitima de uma armação e acabou nas garras do temido Major Vidigal. Ele consegue fugir e com a ajuda de sua madrinha, consegue arrumar um emprego na casa real, mas logo também é despedido, por tentar ficar intimo do pessoal da casa.
Entre uma confusão e outra, Leonardo acaba, finalmente, nas mãos do Major Vidigal, que o nomeia granadeiro (soldado) e o coloca numa missão para prender Teotônio. Para isso, mandou Leonardo até a casa do pai dele, que estava dando a festa de batizado da filha e Teotônio animava a festa. A sua missão era permanecer por lá para facilitar a captura de Teotônio, enquanto, Vidigal e seus homens cercavam a casa. No entanto, Leonardo se sentiu um traidor e armou com Teotônio sua fuga sem que se comprometesse. O plano deu certo, mas Leonardo ficou tão alegre que acabou por se denunciar e foi preso pelo Major Vidigal. Ao saber da prisão, sua madrinha pediu ao major a libertação do afilhado, mas como não obteve resultados teve que apelar para Maria-Regalada, a primeira paixão de Vidigal, que somente consentiu em libertar Leonardo, após promessa de sua amada em morar com ele.
Depois de um tempo casada, Luisinha, a grande paixão de Leonardo, ficou viúva. Leonardo, que nesta altura já tinha sido promovido a Sargento, passou a frequentar novamente a casa de D. Maria, e seu amor por Luisinha renasceu e o dela também. A madrinha e D. Maria estavam mais do que de acordo com o casamento deles, o que impedia era o posto de sargento, que não permitia o casamento. Pediram então novamente a ajuda de Vidigal, que nesses tempos já vivia com Maria-Regalada. O homem cedeu com gosto e fez de Leonardo sargento de milícias, ofício que permitia o casamento.



Nenhum comentário:

Postar um comentário